segunda-feira, março 12, 2018

O maior e mais antigo castanheiro do Mundo

No artigo anterior, falei aqui sobre as tradicionais secadeiras da Serra da Gardunha, que todos os anos secavam toneladas de castanhas, recolhidas pelas gentes da Gardunha, ansiando por guardar um quinto ou um sexto do que recolhiam. Em termos de números, para se ter uma ideia mais precisa, faltou dizer que, por exemplo, a secadeira do Tormentoso processava por ano cerca de 1.000 arrobas de castanhas, o equivalente a 15.000 kg, enquanto que a secadeira nova do Carcavão processava 2 moios(*) de cada vez, algo como 1800kg!

Pode parecer excessivo à luz do povoamento de castanheiros na Gardunha que hoje vemos mas houve alturas em que nesta serra se encontravam exemplares colossais, como o castanheiro grande do Alcambar ou o Castanheiro do Moio. A revista Brotéria, publicação fundada no antigo Colégio de São Fiel, deu a conhecer muitos desses muitos desses exemplares. José Germano da Cunha fala no séc XIX de um castanheiro com 18m de diâmetro do tronco, 48 na copa, dentro do qual caberiam 36 homens em pé.

Ainda hoje, na memória dos mais idosos está ainda a forma como as pessoas se abrigavam da chuva, refugiando-se dentro dos troncos ocos dos castanheiros mais velhos. Também havia quem tentasse em jeito de brincadeira o desafio de saber quantas pessoas conseguiriam abraçar um castanheiro, ao fim e ao cabo uma forma involuntária de silvoterapia.

No Europa, o Castanea sativa distribuiu-se pela zona Ocidental do continente, assum como na bacia mediterrânica, nas zonas mais temperadas, sendo uma árvore importante para a economia de alguns países. Em Itália por exemplo, há uma associação nacional que defende e promove o cultivo de castanheiro e na comuna de Sant’Alfio, na Sicília, encontra-se aquele que será o maior e mais antigo castanheiro do Mundo e, ao mesmo tempo, a maior e mais idosa árvore da Europa: o castanheiro dos 100 cavalos (Il Castagno dei Cento Cavalli). 

Esta árvore tem uma idade estimada 3600 e 4000 anos, de acordo com a informação disponível no site institucional. O Livro de Recordes do Guiness refere-a como a árvore com maior circunferência de tronco registada, com 60m de diâmetro no tronco de acordo com a medida registada no século XVIII. Actualmente está dividida em vários troncos mais estreitos, após um incêndio ocorrido em 1923 e ateado pela população local, em protestos contra uma medida de reordenamento territorial administrativo.


O castanheiro dos 100 cavalos representado por Jean-Pierre Houel, na sua obra "Voyage pittoresque des illes de Sicile, de Malte et de Lipari, 1782. Foto: Wikipédia

O seu nome deve-se, segundo uma lenda local, ao facto de a rainha de Nápoles, Joana de Aragão, no regresso de uma expedição ao Etna, ter sido surpreendida por uma violenta tempestade que a obrigou e à sua comitiva de 100 cavaleiros a procurar refúgio dentro do castanheiro. Hoje a árvore é uma das grandes atracções turísticas da região, tendo a sua importância enquanto monumento natural de grande valor simbólico sido reconhecida pela UNESCO em 2006.


O Castanheiro dos 100 cavalos na actualidade. Foto tirada daqui

Vale a pena ler: dois milhões para reabilitar zona envolvente do Castanheiro dos 100 cavalos

(*) o moio era uma medida que tanto podia ser de volume como de peso. Pela zona NO da Gardunha, equivalia a 60 alqueires, sendo que a medida do alqueire, variava de região para região, podendo representar o equivalente a entre 11 a 15kg de peso.

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...