segunda-feira, outubro 19, 2009

Geocaching - A caça ao tesouro global

Recentemente, o Núcleo Duro do Blog do Katano aderiu a um novo passatempo: o Geocaching. Mas o que é isto afinal?

O Geocaching é uma caça ao tesouro à escala global iniciada em Maio de 2000, destinada a utilizadores de GPS, na qual os participantes têm, mediante coordenadas e pistas, de descobrir pequenas caixas (as geocaches ou só caches) escondidas por outros participantes. Em Portugal, estima-se que existam actualmente cerca de 5.000 caches.

Planta parcial de Anchorage, no Alasca. Cerca de 100 caches...


Ao procurar caches, os participantes têm oportunidade de visitar cidades, monumentos ou ainda de tomar contacto directo com a natureza, podendo os mais ferrenhos ter a oportunidade de procurar caches nos locais mais inóspitos do planeta. A preocupação ecológica é uma preocupação constante nas regras do Geocaching que pede aos participantes que não deixem rasto da sua passagem e, se possível, que deixem o local mais limpo do que quando o encontraram (CITO - "Cache In, Trash Out", "Leave No Trace", "Take Nothing But Photos, Leave Nothing But Footsteps"). Existe aliás um site que promove a realização de eventos CITO coordenados nos quais os geocachers se juntam para limpar voluntariamente determinados espaços.

Outra regra importante e vital para a "longevidade" da cache é a discrição, sobretudo em espaços urbanos. Os geocachers devem ser discretos nas suas buscas de forma a não levantar suspeitas e a não revelar a existência da cache. Infelizmente, a destruição / adulteração das caches é frequente pela falta de civismo de algumas pessoas.

Há relativamente pouco tempo em Castelo Branco, a presença persistente de geocachers (e provavelmente a sua falta de discrição) levantou suspeitas entre a população. Chamada ao local, a PSP acabaria por descobrir a cache mas, de forma exemplar, limitou-se a deixar um objecto nela e a registar no logbook "Boa iniciativa! Gostei do jogo!", voltando a colocar a cache no seu lugar. A título de curiosidade, a 2ª versão desta cache foi ontem visitada pela Katano Team.

Reportagem Jornal do Fundão - Abril de 2009 - Clicar para ampliar


Como começar?

Os interessados podem registar-se num de vários sites dedicados ao Geocaching para terem acesso à lista de caches conhecidas pelos utilizadores desse site. O mais completo será provavelmente o Geocaching.com. Depois, é necessário ter um GPS e eventualmente uma bússola. Recomendamos ainda que os geocachers levem um saco para recolha de algum lixo que encontrem, material de escrita e papel. Depois, com conhecimento das coordenadas da cache, é só partir à descoberta.


O que é uma cache e o que contém?

Uma cache pode ter várias dimensões. Pode ser desde uma micro-cache menor que um dedal, até uma caixa de grandes dimensões, normalmente uma caixa tipo "tupperware". Dentro dela, consoante a sua dimensão, pode-se encontrar uma stashnote, um logbook, material de escrita e diversos objectos. A stashnote contém informação explicativa sobre o que significa a cache e o que é o Geocaching, destinando-se sobretudo a quem a descubra acidentalmente. No logbook encontram-se os registos de todos os geocachers que já encontraram a cache ao qual este pertence.

Uma cache "fundanense" média - Lápis, logbook, stashnote e diversos objectos.

Uma das regras do Geocaching estabelece que, quando encontram uma cache, os geocachers podem levar consigo um dos objectos contidos nela mas devem deixar outro no seu lugar. Podem por outro lado optar por não levar nada. Existem ainda objectos especiais como os "travel bugs" ou as "geocoins" que, tendo um número de identificação, têm de ser levantadas e deixadas noutra cache, podendo potencialmente dar a volta ao Mundo. O seu percurso pode ser acompanhado no site atrás referido, mediante o seu número de identificação.

Uma micro-cache. Apenas contém logbook.


Team Katano em plena actividade no centro de Cáceres, junto ao primo espanhol do Cão Cenoura. O Bruno acaba de descobrir o "ground zero" da cache... ou talvez esteja a apontar para um indivíduo que vem na sua direcção para lhe pedir dinheiro.


As pistas para a descoberta das caches dependem da imaginação dos próprios autores, dependendo daí o nível de dificuldade da sua descoberta. Podem ser desde as caches simples que, em poucos minutos (ou segundos) são logo encontradas, até outras que obrigam os cachers a procurar pistas na paisagem para a sua descoberta. Um caso exemplar é de uma cache, escondida algures em Portugal, que para ser encontrada obriga os cachers a descobrir primeiro 30 caches prévias cada uma contendo pistas parciais sobre a localização final.

O Geocaching é pois uma actividade que, para além de saudável pela actividade que envolve, consegue ser extremamente aliciante e até viciante. Que o diga o genro do meu cabeleireiro oficial que, em diversos pontos do Mundo, já descobriu mais de 1.000 caches.


Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...