segunda-feira, fevereiro 16, 2009

(Des)informação turística

Esta tarde, em viagem pelo vale glaciar do Zêzere, detivemo-nos por alguns minutos em Valhelhas, aproveitando para dar uma vista de olhos à Igreja Matriz de Santa Maria Maior, um templo aparentemente consagrado em 1168 e que nos chamou a atenção pela sua peculiar inscrição sobre o arco da porta lateral.

A inscrição, algo indecifrável para nós in situ , testemunha no entanto a consagração / inauguração da igreja em "Março de 1200" o que equivale a dizer que a mesma foi consagrada em 1168, dado que em 1582, a adopção do calendário Gregoriano em substituição do calendário Juliano em uso até então, levou a que fossem subtraídos 38 anos.

Seja como for, o mais peculiar desta curta visita acaba mesmo por ser a qualidade das informações, que nos foram prestadas por um indígena idoso estrategicamente colocado na janela do 1º andar da sua casa, acerca de um brasão que havia captado a nossa atenção.

Ao ver-nos fitar a casa onde o brasão se encontrava, o auto-assumido guia turístico disse bem alto "2000 anos antes de Cristo!". Como ficámos a olhar alternadamente para ele e para a casa, repetiu, para que não restassem dúvidas, "A piedra! 2.000 anos antes de Cristo!".

Obviamente, com um sentimento de admiração a preencher o nosso espírito, fitámos assombrados o verdadeiro monumento histórico em forma de brasão de armas que ornamentava o canto daquela casa ao nível do primeiro andar.

Claro que não acreditámos em momento algum na inscrição que, no brasão, proclamava que havia sido  "MANDADA FAZER ESTA OBRA (em) 1693".


Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...