quarta-feira, dezembro 07, 2011

Como evitar as portagens na A25 - Um artigo indispensável

É já a partir de amanhã que entra em vigor a cobrança de portagens nas ex-SCUT, situação que vai colocar novamente o Interior à distância em que se encontrava há 20 anos atrás dos centros económicos e dos centros de decisão deste país. Para uma região que tem um rendimento per capita que é 60% da media nacional, ter por exemplo a A23 mais cara que a A1 e ainda dada a conjuntura socio-económica actual, é sem dúvida um notável presente de Natal envenenado.

A discussão gerada em torno dos artigos que publiquei aqui sobre as alternativas à A23 entre Guarda e Castelo Branco (ver aqui) e entre Torres Novas e Castelo Branco (ver aqui) fomentaram uma interessantíssima discussão, na qual os leitores deram várias sugestões que permitem evitar a constante entrada e saída da A23. Aconselho vivamente a leitura das sugestões apresentadas e, desde já, agradeço imenso a todos os que deram o seu contributo.

Entre comentários vários, tanto aqui como no Facebook, alguém tinha perguntado se não estava a pensar em publicar um artigo idêntico para a A25. Não foi preciso! O Rui Sousa, no seu blogue Viver na Cidade da Guarda, apresentou ontem um notável artigo no qual não só apresenta as alternativas aos troços portajados da dita autoestrada como ainda uma tabela na qual apresenta uma análise da diferença de tempo e de distância entre as opções possíveis.


Este notável trabalho encontra-se disponível aqui:



Preços definitivos das portagens e isenções

Entretanto foi também esta semana publicada, no nº 232 da 1ª série do diário da República, a portaria nº303/2011 que fixa em definitivo os valores das portagens em todas as ex-SCUT: A22, A23, A24 e A25.

Em termos das isenções, as mesmas estão definidas no disposto pelo decreto-lei nº111 /2011, no diário da República nº228 da 1ª série de 28 de Novembro de 2001 que define isenção nas "primeiras dez transacções mensais" e 15% de desconto nas restantes. Ora aqui o termo transacções ainda provoca alguma discussão já que não está definido o que é isso da "transacção" mas pressuponho que seja uma passagem por um pórtico. Sendo assim, teremos direito a passar em 10 pórticos gratuitamente e 15% de desconto nas seguintes passagens.

O que é certo é que eu não beneficiarei disto de certeza. Recuso-me a contribuir para este assalto descarado à carteira das gentes da Beira Interior e, porque isso dói mais que qualquer marcha lenta, recuso-me a passar a partir de amanhã por qualquer pórtico da A23. Se todos fizessem o mesmo, isso sim levaria os "boys" da nossa praça a ter de tomar alguma medida proactiva e a inverter as decisões dos últimos anos que foram sufocando a Beira Interior.


Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...