quarta-feira, setembro 30, 2009

Legislativas 2009 - A selecção dos melhores tempos de antena - III

PCTP-MRPP - Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses - Movimento Reorganizativo do Partido do Proletariado (e o artigo bem que poderia já acabar aqui...)

Este blog promete e cumpre! Como tal, cá está o último dos 3 tempos de antena das recentes eleições legislativas que foram eleitos pelo painel de críticos do Blog do Katano como os melhores tempos de antena destas eleições e talvez de todos os tempos.

O PCTP-MRPP é um partido histórico de cujas fileiras já saíram fervorosos partidários maoístas da Revolução do Proletariado como Ana Gomes, Durão Barroso, Maria José Morgado e Fernando Rosas. Na última noite eleitoral, o PCTP protagonizou uma das mais emocionantes proezas das Legislativas ao alcançar um triunfo retumbante, e o seu maior objectivo, que foi a obtenção de 52.633 votos (0,93%) podendo assim passar a usufruir da subvenção estatal de 290.000 euros atribuída aos partidos que ultrapassam os 50.000 votos.

O MEP, Movimento Esperança Portugal, é que não achou piada nenhuma a isto pois estava de tal modo confiante na sua classificação como 6ª força política que pediu um empréstimo de 200.000 euros para a campanha, dívida que agora não sabe como vai pagar. O lado positivo é que, terminada a campanha para as legislativas, o MEP começou agora a campanha de apelo a donativos e, com este ritmo de campanhas sucessivas, nas próximas eleições o MEP vai apresentar uma dinâmica imparável!

Mas perguntam vocês: a que se deve este retumbante sucesso do PCTP-MRPP que inclusive derrotou o MEP? A resposta: sem dúvida à arrojada e vistosa abordagem aos problemas sociais nos seus tempos de antena, dos quais o melhor é sem dúvida o Tempo de Antena nº2.





Este tempo de antena está extremamente bem estruturado e manipula as emoções do telespectador com uma mestria invulgar. A própria banda sonora começa com um som monótono e deprimente de uma concertina, bem adequado ao estado do País, e, mais à frente, assim que se começa a falar no PCTP, a música torna-se instantaneamente alegre, contendo a nuance subtil da promessa de um amanhecer radioso... evocando uma série de trabalhadores terminando o turno da noite na fábrica e sendo substituídos pelos do turno da manhã, todos claro, portando uma braçadeira vermelha.

Mas como garantir que o telespectador vai estar atento à mensagem do tempo de antena? É fácil! Abre-se o tempo de antena com a imagem de alguém de olhos esbugalhados, com a mesma expressão de terror que alguém teria se o teleponto estivesse a ser segurado por um punhado de sequazes prontos a empreender uma pequena Revolução Cultural sobre si. Em mim resultou.

Sem nos dar tempo para reflectir, os rostos sucedem-se, cada um ditando a sua sentença tenebrosa, tal como uma outra senhora, criteriosamente escolhida, que vem dar conta de algo que verifica no local onde mora: todos os dias vê um desempregado novo. Claramente, esta senhora mora diante do Centro de Emprego da sua zona de residência. Mas, para baralhar ainda mais a mente já confusa do telespectador, como se de uma lavagem cerebral se tratasse (a concertina também não ajuda nada), surge ainda outra senhora que dá praticamente a machadada final ao dizer coisas como "Não é só o Desemprego que está em falta!".

A personagem mais intrigante, é a de um jovem de penteado rebelde combinando com uma vestimenta que evoca um certo estilo "yuppie desleixado" e que parece ter a solução para todos os problemas (basicamente ir à luta, lutando e indo à luta... "pá"), embora o facto de ficar cada vez mais eufórico ao longo do tempo de antena, leve a suspeitar que ele não tem solução nenhuma mas que apenas abusou da cafeína.





O tempo de antena termina com a imagem romântica de Garcia Pereira subindo as escadas em direcção à Assembleia de República, qual cowboy cavalgando em direcção a Oeste, cumprindo o desígnio estipulado por um dos protagonistas do tempo de antena que é fazer da Assembleia da República com Garcia Pereira uma assembleia diferente de uma Assembleia da República sem Garcia Pereira... acreditamos que a diferença está logo implícita na frase.


Ver também:
Site da Candidatura de Garcia Pereira
Garcia Pereira no Facebook (com menção ao Blog do Katano!!)
Site do PCTP-MRPP

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...