sábado, setembro 26, 2009

Legislativas 2009 - A selecção dos melhores tempos de antena - II

POUS - Partido Operário de Unidade Socialista





Começando uma banda sonora peculiar, que lembra uma sirene de bombeiros acompanhada por um reco-reco, este tempo de antena do POUS (gosto muito mais de lhe chamar "pouse" do que "pê ó u ésse", tem uma sonoridade muito mais interessante) é apresentado por um camarada analista programador que inicia o seu discurso dedicando 10 segundos a dizer que não vai estar ali para gastar muito tempo aos telespectadores... O argumento curioso do camarada analista programador é que o tempo é precioso, uma vez que é curto para o POUS (leia-se "pouse"). Mas em 2m40s que não chegam para dizer tudo, 10 segundos não fazem falta nenhuma.


Isto seria o equivalente a eu dizer aqui que não iria estar a desperdiçar o tempo dos leitores com texto sem qualquer propósito, uma vez que aquilo que realmente interessa é visionar este agradável tempo de antena e não perder aqui tempo com texto absolutamente inútil que não interessa nada a ninguém, nem sequer se for um parágrafo curto como este. Tal facto seria extremamente desagradável, desinteressante e uma expressão de mau gosto por parte do autor e, exactamente por esse facto, este tipo de situação não irá aqui ocorrer... Adiante.


Num discurso envolvente pleno de dinâmica, o camarada analista programador começa por se mostrar extremamente incomodado com a situação do desemprego, não escondendo esse incómodo que aliás é bem patente no seu rosto. Quase tão grande quanto o incómodo gerado pelo facto de não se conseguir ler muito bem o tele-ponto.


Colocado o dedo na ferida, o camarada analista programador decide então dar uma aula de Direito aos telespectadores, abordando a temática da Constituição da República Portuguesa e explicando, durante quase 1 minuto de "tempo precioso porque curto para o POUS" (leia-se "pouse"), que a Constituição contém artigos sobre o direito ao trabalho. Trata-se de uma abordagem ambiciosa e inovadora uma vez que, ao contrário de outros partidos que propõem a resolução do do problema do desemprego pela criação de novos postos de trabalho, o POUS (leia-se "pouse") avança com a ideia de que o desemprego nem sequer devia existir uma vez que não está consignado na Constituição.


O tempo de antena termina com nova exibição do símbolo do POUS (leia-se "pouse"), acompanhado pelo toque jovial de um trompete que pretende sem dúvida criar um estado de espírito descontraído para não levar o telespectador a pensar que, num espaço onde o tempo era precioso "porque curto para o POUS" (leia-se "pouse"), gastaram-se 2m40s para não se dizer absolutamente nada.

Vale a pena ver:
O site do Partido Operário de Unidade Socialista

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...