sábado, setembro 26, 2009

Legislativas 2009 - A selecção dos melhores tempos de antena - I






Terminou a campanha eleitoral para as eleições legislativas 2009 e o teor dos noticiários vai novamente voltar àquela antiga mediania orfã de escândalos e contra-escândalos, de denúncias incoerentes e ataques e contra-ataques baixos, intercalados com acusações de prática de ataque baixo por parte do adversário. Vamos obviamente continuar a vivenciar a onda sistemática de inaugurações, pelo menos até às eleições autárquicas mas carecendo daquela emoçãozinha muito particular da qual tínhamos até agora pleno desfrute.


Desta campanha eleitoral que agora findou absolutamente nada vai conseguir deixar mais saudades que os tempos de antena televisivos.


Esta última fornada de criatividade veio provar que, cada vez mais, a indústria do audiovisual ao serviço da política se aproxima da indústria de Hollywood, apta a criar verdadeiros épicos, capazes de levar o mais insensível espectador às lágrimas, com a mesma facilidade com que cria verdadeiras patetices que, não só não se podem classificar como realizações de Série B, como também nos fazem perceber que o alfabeto consegue por vezes ser demasiado pequeno...


Aqui fica por isso uma selecção daqueles que, para mim, foram os mais memoráveis Tempos de Antena da campanha eleitoral para as Eleições Legislativas de 2009.




1 - Tempo de Antena do PTP - Partido Trabalhista Português



Este tempo de antena foi já esmiuçado pelos Gato Fedorento, mas merece ser revisto. Numa abordagem revivalista da realidade política internacional dos anos 80, um bem elaborado ambiente cenográfico recorda o espectador que existiu em tempos uma cortina de ferro a dividir a Europa.





Com uma encenação que subtilmente acusa o PS de desnorte governativo e o PSD de ser a alternativa sem sentido, este sketch de crítica social pura começa por atacar a política de educação do Governo.


Numa primeira investida, materializada no momento em que a entrevistadora diz aos entrevistados que pretende colocar uma pergunta e afinal coloca cerca de seis de enfiada (fiquei confuso porque há alturas do discurso em que o ponto de interrogação se confunde com a vírgula), o PTP faz uma alusão à eterna crise do ensino da Matemática, persistindo depois, ao longo de todo o tempo de antena, em ridicularizar as dificuldades de leitura do aluno português actual, recorrendo a imitações de gosto duvidoso ao longo das quais se dá tanto valor à pontuação como à letra "H" quando colocada à esquerda de uma palavra.


Contudo, nem só de ironia mascarada vive este Tempo de Antena que procura manipular emoções. Depois do discurso da Sra. Laranja, terminado com uma expressão de arrogância que desperta nos espectadores uma animosidade que só os agentes porta-a-porta da Cabovisão conhecem, segue-se um momento de silêncio incómodo no qual se sente a tensão subir, à boa moda dos duelos do western clássicos. Houvesse uma banda sonora baseada em assobios, e neste momento dir-se-ia que este tempo de antena teria sido realizado por Sergio Leone.







Inevitavelmente as interrogações brotam como cogumelos na cabeça do espectador: "O que vai acontecer agora?", "Como vai reagir o heróico líder do PTP a toda esta perfídia?", "Será que, para fazer jus ao cenário, ele se vai levantar e abater os opressores a tiro?". Durante 5 longos segundos a angústia cresce até ao limite do suportável até que, finalmente, o Dr Amândio Madaleno (sim, é o nome do heróico líder) dá um murro na mesa... talvez uma palmada... ou talvez tivesse apenas a intenção de sacudir o pó dos seus apontamentos... e decide pôr cobro à situação.


No final do seu discurso, cuja fonética nos remete inevitavelmente para a imagem tradicional e familiar do padre da nossa aldeia, Amândio Madaleno arrasa por completo a oposição que, apesar de tudo, não se coíbe de fazer uma última alusão ao preço proibitivo dos aparelhos auditivos que nem sequer são comparticipados pelo Estado, e o tempo de antena termina com a exibição do glorioso símbolo do PTP. Confesso que foi difícil resistir a esta súbita compulsão de me levantar e aplaudir compassadamente fazendo gestos afirmativos com a cabeça.


Vale a pena ver:
O site do PTP com todas as Actualiadades (há gente que não sabe quando parar)
O blog "O Grito Trabalhista"


Fotos/Imagens:

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...