sexta-feira, janeiro 18, 2008

Raide da F.A. em Penamacor!

Foi ontem notícia a passagem de caças F-16 da Força Aérea (FA) pela vizinhança de Penamacor onde, a fazer fé nos testemunhos indignados dos populares, terão causado vários prejuízos devido ao voo rasante e a velocidade excessiva.

A reportagem da SIC começa com testemunho indignado da Sra. Maria da Conceição que, numa casa com evidentes necessidades de obras de manutenção, apontava a responsabilidade de várias fendas nas paredes e vidros estalados, à passagem dos caças da FA. Parece-me no entanto que até a passagem de uma manada de bovinos nas imediações da casa, não precisavam de ser em grande número, digamos que bastaria uma manada de... um bovino, para provocar danos estruturais consideráveis na construção.

Depois, surge o testemunho inquieto de um profissional da pastorícia que, com a preocupação estampada no rosto, partilha com o jornalista o facto de temer que o acontecimento tenha repercussões na gravidez de alguns animais. Confessa que -"Andam aí 2 ou 3 cabras cheias e agora tenho de andar de olho nelas para ver se aparece alguma coisa.". Como que a querer demonstrar a sua real preocupação, termina a sua intervenção virando as costas ao jornalista, ficando a observar atentamente o seu rebanho, não fosse ter aparecido alguma coisa entretanto.

Finalmente, o drama de alguns milhares de coelhos é exposto aos espectadores. Segundo o criador, a passagem dos aviões havia perturbado os coelhos e era possível constatar que "Olhando para eles, vê-se que estão mesmo stressados!".

Confrontada com estes factos, a FA acabou por admitir que realmente terá havido algum excesso da parte dos pilotos mas que, a ultrapassagem da velocidade do som, tinha acontecido "sem querer" devido a uma distracção do piloto. Em meu entender é um argumento que peca por falta de originalidade, afinal, quem não se recorda da argumentação de uma série de condutores com expressão de culpa estampada no rosto que, na altura de Natal e perante as câmaras, tentavam justificar o facto de terem circulado a 160 km/h numa zona de limitação a 70 km/h, exactamente pela distracção.

Contudo, este episódio vem relançar a minha argumentação acerca da relevância de termos uma FA à luz do contexto político actual e que está também alicerçada no facto de, dos 17 F-16 adquiridos aos EUA, muitos ainda se encontrarem “dentro do caixote” e, entretanto, já se ter despenhado um.

Ao certo a nossa FA serve para quê? Para nos defender de uma eventual invasão espanhola que não seja na Páscoa ou na época de saldos? Vamos finalmente tomar uma posição activa relativamente à questão de Olivença?

Bom, para efeitos da imigração clandestina via Norte de África, realmente terá alguma utilidade em termos de dissuasão. Imaginem o terror dos imigrantes que vêem a estabilidade da sua jangada ameaçada pelos voos rasantes dos nossos F-16! Contudo, continuo a achar que talvez fosse mais económico para o país ocupar os senhores pilotos com o Microsoft Flight Simulator. O nível de periculosidade dos treinos seria idêntico aos actuais e, pelo menos, não colocariam nem pessoas nem animais sob stress.

2 comentários:

São Rosas disse...

Tu brincas, mas foi um caso sério. Em minha casa (em Coimbra) apareceram umas rachas. E não só na casa. Todas as mulheres cá de casa têm uma (cada uma). Exigimos uma indemnização!

Caetano disse...

Então o problema parece ter sido geral...! :D

Entretanto a FA, provavelmente perturbada com a ocorrência de tanta racha, emitiu um comunicado onde diz de sua justiça sobre o assunto.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...