sábado, fevereiro 15, 2014

Sobre as cartas de amor


Há alguns anos, fui convidado a dar uma aula de processamento de texto num curso de informática na zona da Guarda. O grupo era formado por senhoras com idades entre os 40 e os 50 anos, que se estavam a iniciar nas lides dos computadores, e mostraram ser bastante interessadas e voluntariosas.

Como parte da estratégia de motivação inicial, dei o mote para a discussão das vantagens de escrever textos num computador em relação à escrita manual. Tendo recolhido uma série de ideias interessantes, decidi espicaçá-las um pouco:

-"Claro que a escrita manual tem uma grande vantagem sobre a escrita num computador. Sabem qual é?"

Fez-se silêncio durante alguns segundos, enquanto se entreolhavam com ar intrigado, após o que concluí:

-"É muito mais romântico, não acham?"

Por entre as risadas que se seguiram, uma das senhoras tomou a palavra para me dar razão:

-"É sim senhor! Quando o meu marido andava na tropa fartava-se de me escrever cartas. Eu não era capaz de as ler porque não conseguia perceber a letra dele mas adorava recebê-las!"

Imagem: Wikipédia

quarta-feira, fevereiro 05, 2014

Pesquisas do Katano!

Após um prolongado interregno, publicamos mais um artigo da série "Pesquisas do Katano" que, na prática, consiste numa lista de termos de pesquisa no Google que trouxeram os cibernautas ao Blog do Katano, para provavelmente em seguida carregarem no botão de retroceder, ao mesmo tempo que soltavam uma imprecação entre dentes. 

quanto tempo para por moeda no parquimetro
Fico na dúvida se esta pesquisa pretende esclarecer de quanto em quanto tempo se deve introduzir uma moeda no parquímetro ou se se prende, mais precisamente, com o tempo socialmente aceitável que se deve demorar no acto de introdução da moeda no dito cujo. A resposta mais provável a esta questão será provavelmente "Um certo tempo".

Agora é claro que, se estivermos a falar do estacionamento de superfície pago da cidade do Fundão, a coisa muda de figura. Gasta-se tanto tempo a tentar identificar um lugar de estacionamento que, quando finalmente isso for conseguido, provavelmente já acabou o horário de estacionamento pago e a questão da moeda já nem se coloca (ver "A qualidade do estacionamento pago no Fundão by EMSA-Consequi"). Por outro lado, também há quem não tenha muita sorte com os parquímetros quando estaciona em tempo útil (ver "Ah parquímetro ladrão!").

como fazer pasteis jesuitas em video
Embora não sejamos muito versados na confecção de jesuítas, estamos em condições de avançar que os ingredientes necessários são: farinha, manteiga, água, sal, ovos, açúcar, canela e uma câmara de vídeo. Não havendo câmaras de vídeo convencionais disponíveis, pode-se usar em alternativa a câmara de um smartphone. No entanto, um amigo meu já experimentou e diz que assim os pastéis não ficam grande coisa.

coelhos stressados
Esta pesquisa reincidente foi sem dúvida feita por alguém que se quis inteirar dos inquietantes eventos de Janeiro de 2008 quando um esquadrão de caças F-16 da força aérea portuguesa sobrevoou a zona de Penamacor a baixa altitude, provocando partos prematuros no gado caprino e deixando inúmeros coelhos à beira de um ataque de nervos! Podem recordar esse episódio clicando aqui e, já agora, não deixem de ler o comunicado da força aérea sobre o sucedido clicando aqui.

luxemburgo onde param os drogados
Aqui temos uma normal preocupação no planeamento de umas férias no Grão-Ducado do Luxemburgo. Também nós estivemos lá há uns tempos atrás e recordo-me bem das questões que então colocámos: "Onde é que ficam as muralhas da Cidade Velha?", "Quais são os pratos típicos?", "Onde é que param os drogados?", "Onde é que fica o Palácio Grão-Ducal?". 

Ana Malhoa a dar ao cu
Nem me atrevo. Adiante.

komo ir vestida para a serra da estrela
Talvez seja recomendável um estilo um pouco mais informal. A tendência da moda Outono/Inverno 2013/14 é o uso de saias largas abaixo do joelho e sobretudos compridos. Também se sugere o uso de vestuário com cinturas marcadas, botas de cano alto. O padrão tartan também está muito em voga nesta estação. Tenho a certeza que uma ida à Serra nesta altura com este tipo de modelito será uma experiência inesquecível.


A série completa de artigos, que inclui termos de pesquisa como "Beber água da tibórnia é prejudicial?", "como se comunicar com extraterrestres" ou "tourada que causonou morte" pode ser consultada aqui:

Pesquisas do Katano - Novembro de 2008
Pesquisas do Katano - Janeiro de 2009
Pesquisas do Katano - Março de 2009
Pesquisas do Katano - Junho de 2009
Pesquisas do Katano - Agosto de 2009
Pesquisas do Katano - Setembro de 2009
Pesquisas do Katano - Janeiro de 2010
Pesquisas do Katano - Março de 2010
Pesquisas do Katano - Novembro de 2010

segunda-feira, fevereiro 03, 2014

Bem-vindos ao mais pequeno estado soberano do Mundo!

Esqueçam o Vaticano, os atóis do Pacífico, San Marino, Mónaco ou até a ilha da Madeira. O mais pequeno estado soberano do Mundo situa-se no local mais improvável, ao largo do estuário do Tamisa, e tem menos de meio século de história mas é uma história tumultuosa, tendo inclusive sido palco de uma guerra civil. Sejam bem-vindos ao glorioso Principado de Sealand!

Durante a II Guerra Mundial, o governo britânico decidiu reforçar as defesas costeiras com a construção de uma série de fortalezas ao largo do estuário do rio Tamisa. Tratava-se na prática de uma série de plataformas dotadas de radares e artilharia para protecção anti-aérea e marítima, guarnecidas por algumas centenas de soldados. 

Após o fim da guerra, esses fortes acabaram por ser abandonados até que, já nos anos 60, alguns foram ocupados por estações de rádio piratas. Londres não achou piada à ideia de ver instalações governamentais ocupadas por estações de rádio ilegais e moveu uma perseguição legal  que obrigou ao seu encerramento. 

Um deles, um major do exército reformado temperamental chamado Roy Bates, decidiu não baixar os braços e mudou a sua estação, a Radio Essex, para o forte de Roughs Tower que tinha a particularidade de se situar fora do limite das águas territoriais britânicas. Não contente, declarou a independência da plataforma a 2 de Setembro de 1967 (no dia do aniversário da sua esposa), rebaptizando o forte. Nascia assim o Principado de Sealand, um território com 550m2 governado pelos príncipes Roy e Joan Bates e com constituição, moeda, passaportes, cartões de identidade, bandeira e hino próprios. Tem actualmente até uma equipa de futebol com palmarés internacional (ver aqui) obtido de forma dramática.


Eis o Principado de Sealand em todo o seu esplendor!

Dado que o príncipe Roy faleceu em 2012, a chefia do estado é actualmente assegurada pelo seu filho Michael.

Tiros, insultos e... guerra civil!

Mas nem tudo foi pacífico no processo de emancipação de Sealand. Primeiro ocorreu um incidente com uma embarcação inglesa em 1968, que levou a que fossem disparados tiros de aviso a partir da plataforma e que só não deu em nada porque os tribunais britânicos alegaram não ter jurisdição sobre um território extra-territorial. Depois houve outro incidente envolvendo um helicóptero que sobrevoou Sealand, insultando os seus moradores. Mas isto foi apenas o prenúncio de algo muito mais grave.

Em 1978, aproveitando o facto de apenas se encontrar em Sealand o príncipe herdeiro Michael, um grupo de mercenários alemães e holandeses liderados por Alexander Achenbach, primeiro-ministro de Sealand, ocupou o país e fez o príncipe refém. Foi um erro crasso. A partir de Inglaterra, o príncipe Roy Bates, então com 60 anos mas com o mesmo feitio temperamental de sempre, formou uma força expedicionária com um grupo de amigos, naquilo que foi uma mobilização sem precedentes na história das forças armadas sealandesas, e voou até Sealand num helicóptero pilotado por John Crewdson, piloto, actor e duplo de vários filmes de acção, entre eles "James Bond - Ao serviço de sua majestade". 


Os prisioneiros exibidos pelo Príncipe Roy.

Após um aceso tiroteio, Sealand foi recuperado e os ocupantes foram feitos prisioneiros, tendo sido libertados apenas 7 semanas depois, na sequência da visita de um diplomata alemão. Alexander Achenbach acabou por fundar o Governo Rebelde de Sealand, que reclama até hoje o estatuto de governo legítimo do território, a partir do exílio na Alemanha. Estabelecida a paz, estava aberto o caminho para a paz e prosperidade.





A economia de Sealand ou como adquirir um título nobiliárquico a bom preço

Embora tenha recusado uma oferta de compra por parte do site de downloads piratas Pirate Bay, Sealand encontrou outras formas de rentabilizar o território como a fundação da Haven Co (ver site), uma empresa de serviços de alojamento de sites com conteúdos não abrangidos pela legislação internacional. Após algumas peripécias que levaram ao seu encerramento, a empresa retomou a sua actividade e, numa altura em que tanto se fala nisso, promete até proteger os dados da espionagem da NSA (ver aqui). Falou-se também na possibilidade da Wikileaks mudar os seus servidores para Sealand, o que acabou por não se concretizar. Há no entanto outras fontes de rendimento.

Apesar do turismo de massas não ser viável em Sealand, é no entanto possível comprar partes do território a 19,99£ a peça na loja on line embora o stock seja extremamente limitado. Também no mesmo sítio se vendem selos postais, moedas, endereços de e-mail e merchandising diverso e last but not the least, títulos de cidadania e títulos nobiliárquicos. Assim, qualquer pessoa se pode tornar sealandês ou mesmo barão, lorde, conde ou cavaleiro de Sealand o que, em termos de utilidade prática, não é menos que os títulos nobiliárquicos que se ostentam cá pela nossa República, mas pode causar boa impressão entre os amigos. Até consigo imaginar a minha entrada na próxima festarola a ser anunciada: -"Senhoras e senhoras, eis David Caetano, filho de Luís, filho de António, filho de João, e ilustre Cavaleiro de Sealand!".

Fotos:
Brasão de Sealand e fotografia geral do território do Principado de Sealand: Wikipédia
Prisioneiros: Bob Le-Roi

Links:
Principado de Sealand - http://www.sealandgov.org/
Principado de Sealand no Facebookhttp://www.facebook.com/PrincipalityOfSealand
Governo Rebelde de Sealand - http://principality-of-sealand.eu/
Obituário do príncipe Roy (Daily Mail) (The Guardian)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...