domingo, dezembro 23, 2012

68 anos depois, o pombo-correio entregou a mensagem!

Em 1982 no Reino Unido, um casal fez uma fantástica descoberta quando desimpedia uma lareira na sua casa que fora selada havia já muitos anos e cuja chaminé fora entretanto ocupada por pássaros, que ali nidificaram ano após ano.

No decurso da limpeza da lareira, David Martin começou a remover restos de ninhos que iam caíndo da chaminé. Foi nesse momento que caíram alguns ossos de uma ave um pouco maior, primeiro um osso do peito, depois o crânio e em seguida uma perna com uma anilha identificadora, facto que os fez perceber que se tratava dos restos de um pombo-correio.




A maior surpresa aconteceria contudo quando a outra perna caiu, já que nela ainda estava amarrado um pequeno cilindro vermelho em alumínio, recipiente que fazia daquele um pombo-correio muito especial: tratava-se de um pombo-correio que estivera ao serviço das forças aliadas durante a 2ª Guerra Mundial! Mas a surpresa não se ficava por aí já que, dentro do cilindro, encontrava-se ainda uma mensagem misteriosa.

A mensagem fora escrita usando um código secreto, desconhecendo-se portanto o seu conteúdo e a quem se destinava. Apenas era possível ler que esta mensagem era um duplicado, de uma outra que fora enviada por outro pombo, e que fora escrita por um misterioso sargento "W. Stot". A grafia de sargento ("sjt") indicava que era alguém do Exército.




Só há dois anos atrás surgiu algum interesse institucional nesta mensagem, neste caso, por parte do museu de Bletchley Park, a antiga sede dos serviços de inteligência destinados a decifrar códigos inimigos (cliquem aqui para ler o artigo sobre Alan Turing!). O facto de esta mensagem estar codificada, algo muito incomum, levou a supor que contivesse informação importante o que levou ao envolvimento do GCHQ, uma das 3 actuais agências de serviços de informação (as outras são o MI5 e o MI6). Não conseguindo decifrar a mensagem por desconhecer o código usado, o GCHQ (ndr: com esta segunda referência, já deve haver alguém da agência a ler o Blog do Katano), lançou um pedido de ajuda público.

A resposta acabou por chegar do outro lado do Atlântico há poucos dias atrás, quando um historiador canadiano, chamado Gord Young, alegou ter conseguido decrifar a mensagem em apenas 17 minutos, recorrendo a um livro de códigos que havia pertencido ao seu avô, combatente na I Guerra Mundial.

Segundo o historiador, a mensagem enviada pelo sargento William Stot diz:

"Hit Jerry’s right or reserve battery here. / Troops, panzers, batteries, engineers, here. / Counter measures against panzers not working"

Ou seja, trata-se de informação sobre localização e descrição das forças alemãs no terreno, pedindo acção contra elas. A referência Jerry era uma referência depreciativa aos alemães, assim tratados pelos ingleses devido à semelhança entre os capacetes alemães da I Guerra Mundial  e os penicos ingleses  de então ("jerry"). 

Este sargento William Stot foi largado de paraquedas atrás das linhas alemãs durante o Dia D, tendo acabado por morrer no decurso dos combates dos dias seguintes. Crê-se portanto que, a ser efectivamente este o autor da mensagem, esta terá sido enviada no decurso da invasão.

Os especialistas do GCHQ mostraram-se contudo algo reticentes, desconfiando da tradução avançada por Young, acrescentando que muito provavelmente nunca se terá a certeza do que diz a misteriosa mensagem. Poderá efectivamente tratar-se de uma má leitura. A outra hipótese poderá apenas ser que os técnicos do GCHQ  não querem ficar mal vistos nesta história...





Fotos: GCHQ, The History Blog,

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...