quarta-feira, novembro 07, 2012

Grande vitória da Obama, no dia em que as presidenciais se misturaram com 172 referendos!


Eram cerca de 4h da manhã em Portugal quando se começou a anunciar como certa a reeleição de Barack Obama nas presidenciais estado-unidenses, derrotando o peculiar Mitt Romney, mais uma das exóticas sugestões a que o Partido Republicano já habituou tanto os estado-unidenses como o resto do Mundo. A este último de nada valeu a vitória em estados progressistas e civilizados como o Arkansas, o Alabama e o Texas. 

Para já de uma coisa fica a certeza, com Romney arredado da sala oval, ainda não será desta que os EUA irão intervir militarmente no Irão, na Coreia do Norte e no CERN, essa sinistra instituição sediada na Suíça que teve, no passado mês de Julho, o desplante de anunciar a descoberta do bosão de Higgs e, ainda por cima, de lhe chamar "Partícula de Deus".

O sistema eleitoral americano é fascinante por diversos motivos. Primeiro, porque uma tradição de origem agrícola impõe que as eleições se realizem numa Terça-feira em Novembro. Em seguida pela diversidade de formas e possibilidades de voto facultadas aos eleitores, desde o voto antecipado, realizado cerca de uma semana antes, até ao voto electrónico, voto por correio, voto por "Drive Thru", no qual os eleitores podem passar de carro junto a uma caixa destinada a esse efeito e aí deixar o seu boletim de voto; e finalmente pela própria forma de sufrágio que, ao contrário do português, é um sufrágio universal indirecto. Quer isto dizer que os eleitores não votam no presidente mas antes elegem os membros de um colégio eleitoral, que irá, então sim, proceder à eleição do presidente. 

172 referendos num dia com eleições para todos os gostos!


O acto eleitoral de ontem foi muito para além das eleições presidenciais. Em simultâneo realizaram-se também as eleições para o Senado e para a Casa dos Representantes, as duas câmaras que formam o Congresso, o órgão legislativo dos EUA, mas não só!

Contas feitas, ontem realizaram também eleições para o cargo de governadores em 11 estados e dois territórios (Samoa e Porto Rico) e ainda para mais de 6.000 lugares em assembleias locais de cada estado (o equivalente ao Congresso mas à escala de cada estado da União).

Paralelamente, decorreram nada mais, nada menos, que 172 referendos em 27 estados diferentes. Por exemplo, nos estados de Oregon, Washington e Colorado foi referendada a liberalização do uso de cannabis para fins recreativos, tendo o "Sim" vencido nos dois últimos. Já na California, foi referendada a rotulagem diferenciada para produtos transgénicos (não foi aprovada) e ainda a manutenção da pena de morte (que efectivamente acabou por se manter).

Em diversos estados foi referendado o casamento entre pessoas do mesmo sexo, tendo o "Sim" vencido nos estados do Maryland, do Maine e, ao que tudo indica, também no estado de Washington.

Finalmente, já que atrás se falou desse território, no Porto Rico foi também levado a referendo a alteração do estatuto do território em relação aos Estados Unidos. Ao que parece, terá ganho por uma estreita margem a vontade em fazer de Porto Rico o 51º estado da União, embora o referendo não seja vinculativo.

Com tanto acto eleitoral em simultâneo, espero sinceramente que tenham tido o cuidado de colocar bancos nas mesas de voto. Se não o fizeram haverá hoje muita gente aflita das varizes.

Fotos: EurWeb e  Boston Herald

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...