quarta-feira, junho 22, 2011

Quando já há 1.800 anos a culpa era do árbitro...

"O árbitro é um gatuno!" Quantas vezes o adepto ferrenho que há em nós não embarcou nesta prática bem latina, de usar a infame personagem de negro como bode expiatório das horas infelizes e escape para a frustração da derrota? Por muito que as coisas mudem (ultimamente até já vestiram os árbitros de amarelo para tentar tornar a figura mais alegre), é certo que o árbitro é e será sempre um indivíduo sinistro, permanentemente disposto, com um mortífero silvo do seu apito, a desencadear miséria e fatalidade.


A origem desta prática parece contudo perder-se no tempo e entre as contemporâneas trapalhadas de Carlos Xistra e as cortantes sentenças de Salomão, é incerto o momento em que os árbitros deixaram de ser figuras respeitadas para passarem a ser foco de contestação.


Ora, soube-se por estes dias que um investigador canadiano de nome Michael Carter descobriu aquela que poderá ser a mais antiga declaração de protesto em relação à actuação de um árbitro, na forma de uma lápide funerária romana com cerca de 1.800 anos de idade.



Nesta lápide, pertencente a um gladiador de nome Diodorus que provavelmente será a figura em pé, o investigador afirma poder ler-se "após derrubar o meu adversário, não o matei de imediato" e ainda "o destino e ardilosa traição do summa rudis mataram-me".


Este summa rudis era, digamos assim, o árbitro que supervisionava os combates de gladiadores, zelando pelo cumprimento das regras dos combates que, não sendo conhecidas com rigor, pressupunham no entanto que:


- se um gladiador fosse derrubado poderia pedir misericórdia e se esta fosse concedida pelo munerarius, a autoridade máxima e o patrocinador dos jogos, o derrotado poderia abandonar a arena com vida;


- se um gladiador caísse por acidente, o árbitro parava o combate para que este se pudesse levantar e continuar a combater



Segundo Carter, o que terá acontecido a Diodorus foi que, num combate ocorrido na actual Turquia, este conseguiu derrubar o seu adversário de nome Demetrius. Em circunstâncias normais, este último estaria derrotado e à mercê da vontade do munerarius. Contudo, o summa rudis não foi da mesma opinião e decidiu que Demetrius caíra por acidente, permitindo a este levantar-se e continuar o combate, numa decisão que, a julgar pela inscrição na lápide, terá gerado muita contestação.


Por ironia do destino, Diodorus acabaria por ser derrotado e morto neste combate, levando os seus familiares e/ou amigos a dedicar-lhe esta lápide funerária na qual não conseguiram calar a sua indignação em relação à decisão da arbitragem.



Informações e foto da lápide: MSNBC.com
Ilustração por
Tim Hutchinson

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...