segunda-feira, dezembro 27, 2010

A qualidade do estacionamento pago no Fundão by EMSA-CONSEQUI

Desde 2007 que na cidade do Fundão em algumas ruas o estacionamento é pago, apesar de toda a contestação que então se gerou. A justificação de que o Fundão tinha um problema de trânsito automóvel no centro da cidade que era urgente resolver foi o mote para que a Câmara Municipal instalasse parquímetros no centro da cidade, concedendo ao agrupamento de empresas EMSA-Consequi a exploração destes pelo período de 25 anos.


À instalação de parquímetros sucedeu-se a marcação no solo de lugares de estacionamento, marcação essa que chegou a ser atribulada. Não sei se foi em todas as ruas da mesma forma mas, na minha rua, os lugares foram "espremidos" de forma a maximizar a rentabilidade do espaço disponível, até que alguém reclamou, por achar que tinha direito a abrir a porta do seu veículo sem bater com ela no veículo do lado e vice-versa. Pouco depois, as marcações foram refeitas, sendo os lugares alargados.


Entretanto, outra inovação foi introduzida: a privatização do espaço público, com vários espaços de estacionamento a serem reservados em exclusividade, mediante pagamento, para os comerciantes que os solicitassem, já que, apesar de pagarem mais impostos ao município, não tiveram direito ao cartão de estacionamento gratuito como aconteceu com os residentes.


Aos poucos a poeira lá foi assentando e o estacionamento lá foi sendo cobrado, tendo a EMSA-Consequi a delicadeza de nunca promover a multa à primeira prevaricação, deixando em alternativa um aviso a salientar a importância de obter e colocar em local visível o talão de pagamento do estacionamento.


Entretanto, tão concentrados que estão no processo de cobrança, esqueceram outro aspecto que talvez seja importante: a conservação das marcações no solo. Mas isto sou eu, que não percebo muito de gestão de parqueamento automóvel, a dizer.


O deplorável estado das marcações


Convido-vos agora a um pequeno passeio fotográfico pelo universo das ruas do Fundão onde o estacionamento é pago.


Comecemos pela rua que melhor conheço, a Avenida Alfredo Mendes Gil, onde, desde 2007, nenhum tipo de conservação foi realizado. As marcações "apertadinhas", que foram substituídas pelas mais largas, já estão outra vez visíveis com o resultado que se vê.




Temos portanto aqui um divertido desafio para os automobilistas que têm de conseguir encaixar o veículo entre duas marcas e, de preferência, sem tocar em nenhum automóvel que esteja estacionado. Este tipo de estacionamento também é muito apreciado pelos motociclistas que aqui se sentem muito mais tidos em consideração. É frequente verem-se veículos que, por via das dúvidas, ficam estacionados de modo a ocuparem o equivalente a dois lugares normais.


Vantagem: Desde que o veículo fique estacionado entre duas marcas, está bem estacionado.


Desvantagem: A indecisão perante o leque de escolhas não anda necessariamente de braço dado com o exercício do civismo.


Ainda na mesma avenida, encontramos outro fenómeno rodoviário, este de difícil interpretação:



Se, por exclusão de partes descartamos logo do conjunto a linha azul, por ser a sinalização do circuito dos transportes públicos do Fundão, resta-nos decidir sobre a associação entre a marcação de lugares de estacionamento e a linha amarela que proíbe sequer parar, quanto mais estacionar.


Vantagem: São lugares de estacionamento com uma bela vista panorâmica.


Desvantagem: Se estacionarmos aí podemos ser multados. Ou não. Mas podemos.

Mais adiante, na Rua Conselheiro Dr. José Alves Monteiro, o panorama é um pouco diferente, apesar de também ser possível encontrar algo semelhante ao exemplo anterior.


No entanto, nessa mesma rua, a grande inovação é esta:





Aqui já estamos perante um típico caso de estacionamento Feng Shui. O motorista pode escolher estacionar o veículo com diferentes orientações, conforme o que achar ser mais benéfico para si e para as suas cruzes.

Vantagens: Tem efeitos benéficos na saúde e bem-estar dos utentes e, por outro lado, qualquer que seja a orientação do veículo, há a garantia de não se estar a infringir o código da estrada.

Desvantagem: Um alinhamento incorrecto pode ter efeitos nocivos, sobretudo se se embicar com outro veículo conduzido por um motorista que é adepto de um alinhamento diferente do nosso.

Avançando agora para a Rua dos 3 Lagares, encontramos isto:

Nesta rua, as marcações estão claramente em vias de extinção. Se para o olho treinado o desafio não é significativo, há no entanto a garantia que, a partir de um certo valor de dioptrias a tarefa se afigura como deveras complicada. Há no entanto a hipótese de estacionar usando o critério da estimativa, tendo como referência as placas sinalizadoras de lugares de estacionamento reservado.

Vantagem: Conseguir estacionar correctamente contribui para aumentar o amor-próprio do motorista.

Desvantagem: A divergência entre dois motoristas míopes quanto ao correcto estacionamento pode descambar em tragédia.


Para concluir



Acabei por não alongar o meu percurso a outras zonas, como a Rua António Paulouro ou a própria Avenida da Liberdade, onde certamente teria encontrado outras situações dignas de registo. No entanto, este pequeno périplo ajuda a perceber o estado em que se encontra a área de estacionamento pago.


Por outro lado, tendo esta política sido implementada para disciplinar o trânsito e o estacionamento no centro da cidade, fará sentido que se apliquem multas a quem não pague mas, por outro lado, não se aplique semelhantes sanções aos que, pagando, não se coíbem de ocupar abusivamente dois lugares?


Perante isto, e partindo do princípio que a manutenção do espaço do estacionamento é da sua responsabilidade, será legítimo pagar à EMSA-Consequi por um serviço que efectivamente não presta?




A seguir: Quando ter um cartão de estacionamento grátis não nos livra necessariamente de sermos multados.

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...