segunda-feira, dezembro 07, 2009

Hopenhagen - Há motivos para ter esperança?


A partir de hoje, todos os olhos e ouvidos do Mundo vão estar atentos a Copenhaga onde tem início a Conferência das Nações Unidas para as Alterações Climáticas. 192 países e diversas organizações vão sentar-se à mesa para discutir medidas de combate ao aquecimento global.

Os objectivos, bastante ambiciosos, passa por reduzir em cerca de 25% as emissões de dióxido de carbono, o principal responsável pelo efeito de estufa, dos países desenvolvidos até 2020 e em 50% até 2050. Ao mesmo tempo, o objectivo será chegar a uma plataforma de entendimento para que os países desenvolvidos financiem em cerca de 20 biliões de dólares até 2012 os países em vias de desenvolvimento para que estes implementem planos de desenvolvimento sustentáveis e de baixas emissões de dióxido de carbono.

Aguarda-se também com muita expectativa as posições da China e dos EUA, actualmente responsáveis em conjunto por 40% das emissões mundiais de dióxido de carbono ainda para mais depois do fracasso do Protocolo de Quioto.

Será legítimo esperar algo desta conferência? Penso que apesar da boa vontade dos participantes, dificilmente se tomarão medidas de fundo até porque os lobbies do petróleo e do carvão mantêm o seu peso e a sua influência, apesar de se verificar já uma certa tendência para as energias "limpas".

É certo que nunca como hoje a questão do Aquecimento Global esteve tão presente nas primeiras páginas da comunicação social e nos discursos políticos mas a tarefa afigura-se muito complicada quando é necessário um compromisso conjunto mas os interesses de uns são contrários aos de outros e quando as políticas são direccionadas para o imediatismo.

O que poderemos esperar? Copenhagen ou Hopenhagen? Mais uma declaração de intenções ou medidas concretas de combate às alterações climáticas?


20% da população mundial consome 80% dos recursos disponíveis

Actualmente gasta-se 12 vezes mais em armas do que a ajudar países em desenvolvimento

5.000 pessoas morrem diariamente devido à poluição da água

1.000 milhões de pessoas não têm actualmente acesso a água potável

1 bilião de pessoas estão a morrer à fome

Mais de 50% dos cereais comercializados no mundo são usados para alimentar animais ou produzir bio-combustíveis

40% da terra arável está degradada

13 milhões de hectares de floresta desaparecem anualmente, isto é, uma área equivalente a 13 milhões de campos de futebol

1 em 4 mamíferos, 1 em 8 aves e 1 em 3 anfíbios estão actualmente em risco de extinção.

3 quartos das zonas de pesca estão esgotadas, reduzidas ou correm esse risco

A temperatura média dos últimos 15 anos foi a mais alta de que há registo

A calota de gelo perdeu 40% da sua espessura nos últimos 40 anos

No ano de 2050 poderá haver no mínimo 200 milhões de refugiados devido às alterações climáticas

Links obrigatórios:




WWF

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...