sexta-feira, junho 27, 2008

Faltam 6 semanas

Faltam 6 semanas para o grande dia e, aos poucos, a informação vai-se avolumando. Está quase a chegar ao fim a recolha fotográfica e, com um importante reforço de última hora na equipa, os dados estatísticos relativos ao estudo demográfico estão bem encaminhados. Por outro lado, já só falta mais um dia de investigação nos arquivos do Jornal do Fundão.

Este fim de semana promete ser importantísssimo com a iminência da identificação de mais um sítio de potencial arqueológico e uma entrevista a quem, na primeira pessoa, experimentou a actividade das tradicionais "secadeiras".

O local da exposição já está escolhido e reservado, o Museu Arqueológico Municipal já aderiu com entusiasmo ao projecto, faltando a Câmara Municipal e a Junta de Freguesia, entidades com as quais vou reunir na próxima semana.

Aos poucos, vai-se criando um compêndio fabuloso onde, com cada vez mais nitidez, se começa a desvendar a história de uma localidade e o retrato da verdadeira gente "da rama do castanheiro" contados na primeira pessoa...

...e pelas silenciosas testemunhas feitas de pedra.





Testing, testing, 1,2,3,....


Após as minhas primeiras 5 horas no Google SketchUp já consigo fazer o gatafunho de uma casa, para já sem grande atenção aos pormenores...
Eu chego lá!

quarta-feira, junho 25, 2008

"Desastres"

Era este o título de uma coluna com alguns artigos breves e que imediatamente me chamou a atenção. Se fosse hoje, esperaríamos com certeza encontrar referências a uma explosão numa central nuclear, um choque frontal entre 2 comboios de passageiros, um atentado, o anúncio de retirada do Luís Filipe Vieira, ou algo pior.

Em 22/3/1959, era título de uma notícia, no Jornal do Fundão, na secção "Desastres" o seguinte:

"Espetou num braço a agulha com que fazia renda"

A esta, nem acompanhados os bombeiros de Alijó se atreveriam a acorrer...

Anúncios do Katano, em 1952

Na continuação da minha viagem temporal nos arquivos do Jornal do Fundão, tenho-me deparado com inúmeros artigos e anúncios insólitos, pelo menos, à luz do contexto social e económico actual.

Não vou aqui falar da notícia do tipo que se sentiu mal até ter expelido uma cobra de 40cm, da cabra que pariu um cordeiro e um cabrito ou ainda do facto de os pedidos de casamento serem motivo de notícia.

Vou sim transcrever 2 anúncios, ambos do ano 1952, que considero particularmente interessantes:

"Encontra-se nesta redacção uma chave manivela de automóvel, achada numa das ruas do Fundão, que entregaremos ao seu dono."

"Por 15$00 pagos mensalmente, durante 2 anos, pode Vossa Exa adquirir um excelente ferro de passar automático. Mais económico do que os ferros vulgares e sem perigo de incêndio."

terça-feira, junho 24, 2008

Descubra as diferenças!

Antes... (que é como quem diz, em 1972)

Depois... (que é como quem diz, há umas 3 semanas atrás)


segunda-feira, junho 23, 2008

Que é isto?!

Caríssimos ilustres, contemplem bem o que ficou registado em duas fotos que tirei no Vale D´Urso, aquando da primeira fase do projecto de exposição em que o David está empenhado.
As fotos foram tiradas mesmo no centro da aldeia, em sequência rápida. É possivel ver um braço, que presumo estivesse a apontar para o objecto, e lá no alto...




Na segunda foto da sequência rápida, o objecto aparenta efectuar uma manobra evasiva, descendo bruscamente.




Aqui uma ampliação das duas fotos:




Eu e o David não pudémos ficar mais tempo no local, mas segundo relatos, o objecto continuou a efectuar passagens sobre os habitantes locais, algumas até bastante rasantes, durante cerca de mais uma hora.

domingo, junho 22, 2008

A importância da memória


"Sem memória, o mais inteligente dos homens nada é, porque com nada se identifica"


João Pedro Bénard da Costa, 10 de Junho de 2008

Políticos ao trabalho

Uma nova forma de colocar os políticos a fazer verdadeiro serviço público e, ao mesmo tempo, de poupar em alcatrão e combustível, que isto dos petroquímicos está pela hora da morte.

Só podia ser no Brasil!

O que resta depois?


Eis o essencial do que aproveitámos da Festa da Cereja do passado fim de semana... a última música do concerto.




Isto claro, depois de nos atrasarmos com certas e determinadas 'campanhas eleitorais' protagonizadas por um elemento do grupo nas ruas de Alcongosta, o que levou a não termos lugar para jantar no local, o que nos forçou a voltar ao Fundão, regressando à Alcongosta lá pelas 23h30.


Nunca pensámos que os músicos italianos não esperassem por nós do jantar... falta de respeito.








sexta-feira, junho 20, 2008

Notícias do Katano

Continuando a preparação do meu projecto de exposição, passei a manhã nos arquivos do Jornal do Fundão, o melhor semanário regional do país. Quando esperava que o grafismo e a paginação fossem os meus principais obstáculos, no que à leitura diz respeito, descobri que o mais difícil vai ser filtrar as notícias rocambolescas que vou descobrindo à medida que vou virando os meses feitos de páginas envelhecidas.

Eis aqui uma pérola:

Caixão cai na loja da casa

"No dia 17 do corrente mês faleceu em Sobral de Casegas a Sra M.J.A., de 75 anos, viúva de J.J.S.. Na manhã do dia seguinte numerosas pessoas velavam o cadáver, quando de súbito o soalho do 1º andar abateu precipitando-se na loja da casa o caixão com o cadáver e várias das pessoas que ali se encontravam.

Como é natural, estabeleceu-se grande pânico, mas o desastre não teve, felizmente, as consequências graves que a princípio se chegaram a supôr. Com gravidade ficou somente ferido o Sr. J.S., de 75 anos. Sofreram ainda ferimentos as Sras M.G. e M.R. e o Sr. J.P. O Sacristão com a cruz também caíu para a loja"

Notícia de 1966

A prova que, na década de 60, velar mortos era uma actividade de risco. De salientar ainda a coragem do sacristão que, bravamente, se recusou a largar a cruz quando desceu ao rés-do-chão justificando-se em pleno o destaque a este binómio.

quinta-feira, junho 19, 2008

Comunicado da Junta Directiva do Katano

A Junta Directiva do Blog do Katano vem por este meio informar os seus acérrimos leitores (de videocassete, CD-ROM e outros que tal) do seguinte:

1 - Encontra-se, na coluna situada à direita deste texto informativo, um logótipo do concurso Super Blog Awards.

2 - Tal logótipo significa que este Blog se encontra inscrito na edição 2007/2008 do concurso Super Blog Awards.

3 - Tal logótipo é circular, de centro vermelho rematado por uma faixa circular dourada, possuindo os dizeres "Super Blog Awards" no seu centro e "2007-2008 Super Bock - Pessoal" na faixa dourada que rodeia o centro que é vermelho.

4 - O logótipo possui uma seta como que querendo significar que se deve clicar sobre ele.

5 - Tal logótipo significa que este Blog se encontra inscrito no concurso Super Blog Awards que consiste num concurso onde competem certos e determinados Blogues.

6 - Os interessados devem votar neste Blog clicando sobre o logótipo circular de centro vermelho rematado por uma faixa dourada.

7 - Não adianta pretender votar hoje visto que o concurso só começa daqui a 11 dias, ou seja, os interessados podem clicar sobre o logótipo, de centro vermelho rematado por uma faixa dourada, para treinar o processo mas tal não serve de mais nada.

8 - A Junta Directiva agradece a atenção prestada a este comunicado, que visa informar que este Blog se encontra inscrito no concurso Super Blog Awards, e que até já possui, na coluna da direita, um logótipo do referido concurso, de centro vermelho rematado por uma faixa dourada.

Casamento após 50 anos de namoro

A prova de que o amor pode durar uma vida e mesmo transcendê-la, tal como transcende dogmas e preconceitos, tornando-se eterno.

A ler no Blog A-Asneirada, da minha amiga Juanita

A notícia no Dailly Mail

terça-feira, junho 17, 2008

Os mistérios da Gardunha dão que falar

Já anteriormente, após uma das minhas caminhadas pela Gardunha, aqui havia dado conta da descoberta de símbolos misteriosos no maciço central da serra. No último post fiz também uma alusão ao fenómeno do avistamento de OVNIS na Gardunha, sendo esta um hotspot da ovniologia nacional.

Nem a propósito, o programa
Encontros Imediatos, com transmissão na RTP 2, abordou no seu 6º episódio o fenómeno OVNI na Gardunha.

Aqui fica essa reportagem para os que acreditam, os que querem acreditar e os que, como eu, acreditam no álcool etílico como facilitador da observação de Objectos Voadores Não Identificados. Chamo também a atenção para a expressão dramática de elevada categoria dos actores que participam nas reconstituições dos acontecimentos. Dignos de um Óscar!

Parte 1

Parte 2

Parte 3


Agradecimentos ao Xamane pela dica sobre estes vídeos.

Matrículas amovíveis

Um conhecido meu circulava no seu carro acompanhado por um amigo quando surgiu uma auto-caravana de matrícula francesa que, em circunstâncias pouco claras, foi embater no seu veículo.

Indignado, esse meu amigo saiu do carro para pedir satisfações ao condutor do outro veículo que, peremptoriamente, negou qualquer responsabilidade no ocorrido e dando azo a uma discussão acesa na qual se envolveu também a esposa que acompanhava o dito condutor.

Vendo que o caso não se resolvia, esse meu amigo dirigiu-se ao colega em tom firme e pediu-lhe:

- "Tira-lhes aí a matrícula!"

Qual leoa encurralada, a esposa colocou-se frente à auto-caravana em postura protectora e gritou:

- "Daqui ninguém tira nada! Se vocês tirarem a nossa, nós tiramos a vossa!"

segunda-feira, junho 16, 2008

A ASAE e o Prof Bambo.

A ASAE é, por estes dias, considerada como algo monstruoso e implacável que assombra o imaginário do cidadão comum. Podemos até dizer que a ASAE está para o imaginário do cidadão comum como o Bicho Papão e o Homem do Saco estão para as mentes irrequietas das inocentes criancinhas.

Aliás, não há imagem mais tenebrosa que os imparáveis elementos da ASAE, muito semelhantes na sua envergadura a funcionários de controlo de entradas lentas e saídas apressadas nas discotecas, envergando os seus coletes distintos e apreendendo tudo o que for DVD pirata nas bancas dos incautos prevaricadores.

Ora bem, perante tal clima de terror, vale tudo para fugir à ASAE e, por vezes, o desespero atinge proporções gargantuanas, como aliás o demonstra a notícia, já com algum tempo é certo, que chegou à redacção do Blog do Katano:

Ao que parece, um cidadão apresentou queixa contra o Prof. Bambo, o famoso sábio e conselheiro do para-anormal (sem hífen), por este alegadamente o ter burlado em 5470 Euros, valor que pagou por duas consultas (70 Euros) e um tratamento em três fases, custando cada uma 1800 Euros.

O diagnóstico, terá sido feito pela colocação de um pano na cabeça do aflito paciente e o tratamento consistiu em ir buscar 17 pedras ao cemitério e colocá-las num frasco que depois foi atirado ao mar (senhores da autoridade, eis aqui um caso gritante de poluição) e, depois, em não sair de casa no dia 5 de Março após as 17h00 tendo o cuidado de tomar banho com 5 litros de água do mar.

"Mas o que é que isto tem a ver com a ASAE?", estarão os poucos que chegaram até à leitura deste parágrafo a perguntar. Pois bem, segundo o queixoso, o desespero que o levou a procurar o Prof. Bambo foi motivado por um negócio fraco e porque nos últimos meses havia sido visitado 4 vezes pela ASAE, um número excessivo e muito para lá da tolerância humana a visitas da ASAE.

Obviamente poderá parecer que o mais lógico seria gastar os 5470 euros para suprimir o que quer que motivasse as visitas da ASAE mas não! Toca a investir o dinheiro para o Prof. Bambo nos colocar um pano em cima da cabeça.

Por vezes dou por mim a ser surpreendido pelo quão curtas conseguem ser as vistas das pessoas e este caso é um tremendo paradigma disso para além de ser um exemplo gritante de mau investimento.

Se, em vez de recorrer ao Prof. Bambo, o agora queixoso tivesse recorrido a mim, eu ter-lhe ia colocado um rico paninho estampado, lavado e perfumado com aroma de lavanda na cabeça, tê-lo ia feito colocar o dobro das pedras no frasco e ter-lhe-ia dado o dia 5 de Março completo de folga, tudo por apenas metade do preço.

domingo, junho 15, 2008

Os Sete Segundos

25/06/2008, Abrantes.
Miserávelmente, para além da Nelly não ter sido parabenizada em devida altura pelo seu aniversário, também o não foi pela sua benção das pastas.
Na tentativa de corrigir estas falhas, aqui fica o registo de um belo momento, um dos vários (muitos!) colapsos emocionais ocorridos no final (e durante...) (e antes...) da cerimónia.




Mais tarde na queima das fitas, quando o conciso discurso da Nelly foi abreviado por um destes seus instantes, uma voz conhecida (*) comentaria a meu lado com um tom fatal: "Cá está! Sete segundos..."

Momentos lindos. :P

(*) Por motivos de segurança a identidade do(a) comentador(a) não será revelada.

quarta-feira, junho 11, 2008

Fotos do Katano



Serra da Estrela, 4 de Junho de 2008
Fotos por Ana C. Pereira

terça-feira, junho 10, 2008

Profundo orgulho

Foi o sentimento que me preencheu ao ver o meu amor na televisão esta manhã. :) :)

sexta-feira, junho 06, 2008

Vox Populi

"Então mas é preciso andarmos a comer peixe? Comemos mas é sardinha!"

Sugestão com teor de indignação de um cidadão anónimo e escolhido completamente ao acaso na multidão perante a situação grave que a indústria e comércio de pescado atravessam, com especial enfoque no preço a que este é comercializado.

Nova descoberta

Sítio designado por "Forno dos Mouros", 2006


A confirmarem-se as opiniões preliminares dos arqueólogos a quem solicitei ajuda na identificação do sítio da foto, estamos na iminência de uma interessante descoberta arqueológica.

A exposição ganha mais conteúdo enquanto que, ao mesmo tempo, se deslinda um mistério que faz parte do imaginário da aldeia.

segunda-feira, junho 02, 2008

Fornos comunitários

Começou hoje a recolha fotográfica com vista à exposição que vou organizar em Agosto. Com a inestimável colaboração do fotógrafo oficial do Katano, o Xamane, as fotografias de hoje focaram os velhos casarios e 2 dos 3 fornos comunitários que existem na aldeia.

Estas construções eram, a par das azenhas que em breve serão alvo de levantamento, fundamentais na economia local, não só para a cozedura do pão (em todas as suas variantes mais ou menos elaboradas) mas também para cozinhar diversas iguarias da gastronomia local. Não era incomum em dias de festa verem-se as mulheres acenderem os fornos logo por volta das 6h da manhã para, depois de bem aquecidos, colocarem lá dentro panelas de barro com a carne de cabra ou cabrito. Esta ficava a cozer a manhã toda e era depois servida ao almoço.

Sendo comunitários, a sua construção e manutenção era assegurada pelo contributo e voluntariado do povo. Os materiais empregues são invariavelmente os mesmos: xisto, tijolo grosseiro para o forno, madeira, telha e o indispensável barro para isolamento do conjunto.

No esboço simplesaqui apresentado pode ver-se um dos fornos hoje documentados, constituído pelo forno em planta rectangular, adossado a uma divisão de planta rectangular de área maior com duas bancadas laterais de apoio em xisto. Por ser aparentemente o mais recente dos 3, encontra-se em excelente estado de conservação.

Permito-me nesta posta fazer um pequeno apontamento sobre o esboço propriamente dito. Embora não sendo uma obra prima, afinal fi-lo enquanto o Xamane tirava as últimas fotos, tenho de o dedicar à minha minhotinha, não pelo desenho em si, mas acima de tudo pelo sentimento de inocência pura e carinho que todo este local me inspira e por assinalar uma povoação à qual ela já está irremediavelmente ligada ;).
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...