sábado, julho 30, 2005

Tuguices

Excertos do texto de Clara Ferreira Alves, hoje, na revista Única do Expresso:

"Esta é aquela altura do ano em que os portugueses dizem uns para os outros com ar circunspecto e circunstancial, ou melhor, com ar circunspecto ou circunstancial, vou aproveitar as férias para ler e escrever. Sobretudo ler, ler, tenho um monte de leituras para pôr em dia. (...) E é já a seguir, é mesmo já a seguir, vem a lista extensiva e exausta do monte de leituras para pôr em dia. Normalmente, um best-seller dqueles com o selo de autenticidade dos best-sellers aprovados pela weltanschauung contemporânea, vulgo zeitgeist, vulgo "uma cena da moda", normalmente, dizia eu, um desses livros género Dan Brown ou Thomas Harris (em inglês dans le texte e em paperback) e nunca, nunca, um desses livros do género Rebelo Pinto ou Paulo Coelho, que não correspondem ao cânone e são só lidos pelas classes inferiores que nunca, nunca, são suficientemente superiores ou cultas para responderem a inquéritos de Verão dos jornais ou terem amigos cultos que, nas férias, aquilo que fazem é essencialmente (e o advérbio é fundamental) ler e escrever, muito ler e escrever.
(...) Os portugueses mentem. Mentem com quantos dentes têm na boca. E dizem que vão ler. Que vão ler aquilo, aquelas coisas, o Homero traduzido em português dans le texte e misturado com a areia da praia, o Dan Brown em inglês dan le texte caído no bordo salpicado de cloro de piscina, e quiçá um pesado romance de século XIX, que andam para "reler" (outra mentira, mais fina, é a dos que deixaram de ler, apenas relêem) há anos, que pesa pelo menos 489 gramas e que eles tentarão equilibrar numa mão, enquanto seguram o toldo do vento e a trela do cão na outra.
Mentem e continuam a mentir, faz parte do sistema, está-lhes, como dizia o povo, na massa do sangue. Porque, se os portugueses lessem tanto como mentem, éramos o povo mais culto da Europa, quiçá do mundo inteiro, e não somos. Não somos não. Perguntem nas papelarias dos hipermercados, visto que não se pode chamar àquilo livrarias. Perguntem e apurem a qualidade das respostas. A verdade é que somos um dos povos mais incultos, iletrados e analfabetos da Europa, e não é por falta de livros ou de dinheiro, nem por causa do défice. Se há dinheiro para CD e T-Shirts da Zara, para telemóveis e carros, também haveria para livros, embora em se tratando de livros venha logo aquele queixume miserabilista do "livro tão caro", o que não impede os mesmos queixosos de, em férias, lerem e relerem, lerem e relerem.
Não. Se em Portugal, como me confidenciou um editor, se publica um livro de duas em duas horas, também não é por falta de livros, embora a maioria destes livros não valha a vida de um caracol a atravessar a A2 para o Algarve no dia 31 de Julho. Não. A razão pela qual somos um dos povos mais iletrados, incultos e ilegíveis da Europa é porque não lemos. " (...)

sexta-feira, julho 29, 2005

Férias...!!!!

Bem pessoal, chegou a hora de me despedir de vocês por uma semana porque sinceramente, preciso de descansar um bocado. O que significa ir de férias? Para mim significa largar TUDO e mudar de ares. Mudar de paisagens, de envolvência, enfim... ir para um sítio onde ninguém me conheça e ir sem telemóvel, sem agenda, sem horários e acima de tudo sem preocupações.

Espanha é o destino. Mérida, Granada, Almuñecar. Estou para já cheio de expectativas em relação ao que vou encontrar e prometo que depois publicarei aqui algumas fotografias... nem que seja só para meter nojo. he he he

Foi um ano de trabalho muito frutífero e posso dizer que até agora, 2005 está a ser em muitos aspectos, o melhor ano da minha vida, faltando apenas conhecer a emigrante de leste dos meus sonhos. Espero agora poder regressar com baterias recarregadas e cheio de energia para pegar nos projectos pendentes e levá-los a bom termo.

A despedida do Fundão não poderia ter sido melhor. ;)

Imagem do palácio árabe do Alhambra tirada daqui

terça-feira, julho 26, 2005

15 minutos de diferença

Deslocava-me hoje à altaneira cidade da Guarda em automóvel emprestado quando a TSF começa a debitar uma notícia preocupante (mais uma):

"A Reuters avança com a notícia de que um avião jordano se despenhou. Ainda não há informações sobre a magnitude do acidente, sabe-se apenas que o avião se despenhou".

Pensei logo em mais um atentado até porque é o assunto do momento, para além da venda do Kit Sócio, e comecei logo a imaginar que a Jordânia, pela sua postura branda no teatro político-militar do Médio Oriente, seria com certeza um alvo bastante provável. "Al Qaeda" pensei logo.

Eis que 15 minutos depois o repórter volta ao ataque:

"Actualizamos agora a notícia que dava conta de um acidente com um avião na Jordânia. Ao que parece o avião não se despenhou. Quando este aterrava um pneu terá rebentado. Não há vítimas mortais."

Lá tive de corrigir o meu raciocínio "Maldita Michelin!".

segunda-feira, julho 25, 2005

Mário Soares põe-se a jeito



Já se fala de uma possível candidatura de Mário Soares à Presidência da República. A esquerda em peso apoiaria, tanto que pressiona, assim como boa parte do país.
Confirma-se o que já parecia claro: Portugal não tem qualquer projecto de futuro (existiremos ainda daqui a uns 20 anos?), antes quer andar para trás.

foto
  • daqui
  • sábado, julho 23, 2005

    A mente do cabeça de trapo

    Há duas semanas, Londres, 50 e tal mortos, o outro dia mais uma tentativa sem sucesso, hoje Egipto, quase cem mortos. Não são só os tipos barbudos nas cavernas afegãs que comandam de longe a carnificina, são todos esses jovens muçulmanos aleatórios que respiram o mesmo ar que nós. Entusiasmam-se com as imagens televisivas dos atentados e sentem-se divinamente inspirados pelos vídeos de decapitações difundidos via net. ESCUMALHA AMBULANTE. Por detrás da minha aparência elevadamente civilizada e democrática, o meu mais básico instinto grita por campos de concentração / extermínio para esta gente (enfim, nem esse qualificativo merecem). Filhos da p**a.

    Aqui ficam excertos entrevista que a revista PÚBLICA fez em 2004 a um proeminente sheik londrino, Omar Bakri Mohammed:

    " (...) P. Mas o que pode justificar matar deliberadamente milhares de civis inocentes?
    R. Nós não fazemos a distinção entre civis e não civis, inocentes e não inocentes. Apenas entre muçulmanos e descrentes. E a vida de um descrente não tem qualquer valor. Não tem santidade.

    P. Mas havia muçulmanos entre as vítimas.
    R. Isso está previsto. Segundo o Islão, os muçulmanos que morrerem num ataque serão aceites imediatamente no paraíso como mártires. Quanto aos outros, o problema é deles. Deus mandou-lhes mensagens, os muçulmanos levaram-lhes mensagens, eles não acreditaram. Deus disse: “Quando os descrentes estão vivos, guia-os, persuade-os, faz o teu melhor. Mas quando morrem, não tenhas pena deles, nem que seja o teu pai ou mãe, porque o fogo do Inferno é o único lugar para eles".(…)

    P. O Corão diz isso?
    R. Sim. As pessoas não percebem, porque a televisão e os jornais só entrevistam os seculares. Não falam com quem sabe. Os seculares dizem que “o Islão é a religião do amor". É verdade. Mas o Islão também é a religião da guerra. Da paz, mas também do terrorismo. Maomé disse: “eu sou o profeta da misericórdia". Mas também disse: “Eu sou o profeta do massacre". A palavra “terrorismo” não é nova entre os muçulmanos. Maomé disse mais: “Eu sou o profeta que ri quando mata o seu inimigo". Não é portanto apenas uma questão de matar. É rir quando se está a matar.

    P. Isso quer dizer que o terrorismo é natural e legítimo?
    R. Só é legítimo o terrorismo divino.(…)

    P. O que pretende a Al-Qaeda?
    R. O terror. Estão empenhados numa jihad defensiva, contra os que atacaram o Islão. E a longo prazo querem restabelecer o estado islâmico, o califado. E converter o mundo inteiro.(…) "

    quarta-feira, julho 20, 2005

    O Povo é que paga!


    Pelos vistos, a coisa já não é de agora...
    Janeiro de Cima (Fundão) - 2005


    terça-feira, julho 19, 2005

    Parabéns Sotôra!

    Na sequência da política de valorização de pessoal que o Blog do Katano tem posto em prática nos últimos dois triénios, apraz louvar e divulgar o facto de contarmos nas nossas fileiras com mais uma Sotôra! Parabéns Andreia!

    Pensamento do dia - I

    O melhor remédio para as insónias é dormir muito!

    domingo, julho 17, 2005

    Bento 16 vs Harry Potter

    Aproveitando o lançamento de mais um livro das séries Harry Potter, fiquem os meninos e meninas a saber que o Santo Padre se manifestou, ainda Cardeal, contra os romances de J.K. Rowling:

    - porque os livros de Harry Potter corrompem os jovens cristãos, deturpando e manipulando a capacidade de desenvolver a concepção correcta do bem e do mal

    - porque são uma forma subtil de sedução e deturpação da alma cristã das sociedades ocidentais desenvolvidas

    - porque Hogwarts, a escola de magia das séries Harry Potter, é um mundo perigoso de violência e terror, bruxarias, magias e sacrifícios, um ambiente a que o leitor, geralmente tenro e influenciável, não pode ficar indiferente


    É meu objectivo que fiquem alerta e informados.
    Para mais questões, não hesitem em contactar-me, PequenaJoana, Provedora dos Leitores do Katano para as Questões da Fé.

    quarta-feira, julho 13, 2005

    Descubra as diferenças

    Imagem de cima:
    Um cartaz de um filme que fez um estrondoso sucesso nos anos 70, aterrorizando banhistas e nadadores-salvadores, criando o mito do tubarão assassino. Repare-se no ar ameaçador e decidido deste exemplar de Carcharodon carcharias que se encaminha para o incauto banhista, com ar de quem vai ter o seu voraz apetite saciado daí a poucos segundos.

    Imagem de baixo:
    Uma criatura astuta e sanguinária que se prepara para subtrair alguns dedos que julga serem desnecessários ao fotógrafo, em pleno balcão do Solar dos Caetano. Reparem no ar ameaçador e decidido deste exemplar de Canis Lupus Familiaris à medida que salta na direcção do fotógrafo! Um orgulho para a raça canina!

    imagem do tubarão retirada daqui



    segunda-feira, julho 11, 2005

    Fantástica descoberta arqueológica!!!

    Tive conhecimento há alguns dias atrás num blog que visito regularmente, o ArqueoBlogo, que estará em exposição no futuro Museu do Sabugal uma garrafa das antigas águas Radium, uma marca que era embalada ali perto de Sortelha e depois distribuída por todo o Mundo. Uma das características dessa água e que contribuía e muito para o seu sucesso, era o facto de se tratar de "água radioactiva", imagine-se...

    Pois bem, para mostrar ao museu do Sabugal que não são só eles que possuem verdadeiras relíquias engarrafadas, eis que descobri na garagem do Solar dos Caetano, um exemplar de uma famosa marca nacional de cervejas! Trata-se de uma garrafa dos anos 50/60 com o antigo rótulo pirogravado.
    Não me perguntem o que fazia ali esta garrafa, até porque o Solar só existe desde os anos 80, mas é sem dúvida uma surpresa.

    Fiz uma pequena pesquisa no site da Central de Cervejas para estabelecer uma datação para esta garrafa e também acabei por descobrir que a popular "imperial", a típica cerveja vendida ao copo que já foi companhia dos membros deste blog em inúmeras noites da suas vidas, tem o seu nome devido a uma marca lançada pela Sociedade Central de Cervejas em 1941.

    domingo, julho 10, 2005

    Nem tudo são rosas na investigação espacial...

    Há alguns dias atrás, fomos apanhados de surpresa pela notícia de que a NASA teria conseguido com sucesso a colisão de uma sonda espacial contra a superfície de um cometa. O objectivo desta iniciativa científica seria o de libertar material da superfície do corpo celeste para estudar a composição do cometa. Por outras palavras, atiraram uma sonda contra o cometa para levantar poeira.

    Contudo, assim que o Mundo começou a parar de aplaudir este retumbante sucesso científico, logo surgiu mais um evento que deixou novamente a Humanidade boquiaberta: a NASA fora processada por causa desta missão!

    Ao que parece, uma astróloga russa exige uma indemnização de 300 milhões de dólares por danos causados pela alteração da órbita do cometa, facto que alterou e desvirtuou por completo as suas previsões.

    A NASA já reagiu e alegou que o impacto foi o equivalente ao impacto de uma mosca contra um avião de passageiros. Cá para mim a NASA está a esconder qualquer coisa... Nem sequer especificaram o tamanho da mosca...

    imagem
    SIC

    quarta-feira, julho 06, 2005

    Problemas na rede eléctrica!

    Image hosted by Photobucket.comUltimamente têm havido falhas no abastecimento de electricidade pelo menos aqui na zona onde moro. A meio da noite PIMBA! lá sei vai a electricidade. Volta, vai, volta novamente, vai outra vez... Hoje, por volta das 7 da manhã, lá ficámos novamente sem electricidade... Seja como for, avanço com uma possibilidade de explicação que me foi enviada por e-mail. Será?

    sexta-feira, julho 01, 2005

    Noutra Dimensão

    No People + Arts, há um programa traduzido para português como Noutra Dimensão, que consta basicamente de um médium que faz a ponte entre os vivos presentes no estúdio e os seus entes queridos mortos. Gosto de ver quando calha, porque aprecio as qualidades do médium, que consegue falar com os vivos e os mortos em simultâneo a uma velocidade parva e saca sempre aos mortos pormenores interessantes ("lembra-se quando o seu filho morto partiu a sua louça de porcelana?"). Aquilo parece-me ser verdade, confesso.

    Mas fico sempre frustrada porque parece que nunca ninguém teve a "ideia de génio" de perguntar aos mortos se Deus afinal existe. As perguntas rápidas que os vivos podem endereçar aos seus defuntos ficam-se sempre por "está tudo bem?" e a resposta invariavelmente é "sim, está tudo em paz, a avó está aqui a tomar conta de mim". Eu acho mal. Se se fizesse logo a pergunta óbvia e importante, desvendava-se de uma vez por todas o segredo do mundo e até para mim aquele programa passava a ser um consolo.
    Tenho que assistir mais vezes, a ver se tenho sorte.


    John Edward, o médium


    imagem tirada
  • daqui

  • Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...