sexta-feira, julho 01, 2005

Noutra Dimensão

No People + Arts, há um programa traduzido para português como Noutra Dimensão, que consta basicamente de um médium que faz a ponte entre os vivos presentes no estúdio e os seus entes queridos mortos. Gosto de ver quando calha, porque aprecio as qualidades do médium, que consegue falar com os vivos e os mortos em simultâneo a uma velocidade parva e saca sempre aos mortos pormenores interessantes ("lembra-se quando o seu filho morto partiu a sua louça de porcelana?"). Aquilo parece-me ser verdade, confesso.

Mas fico sempre frustrada porque parece que nunca ninguém teve a "ideia de génio" de perguntar aos mortos se Deus afinal existe. As perguntas rápidas que os vivos podem endereçar aos seus defuntos ficam-se sempre por "está tudo bem?" e a resposta invariavelmente é "sim, está tudo em paz, a avó está aqui a tomar conta de mim". Eu acho mal. Se se fizesse logo a pergunta óbvia e importante, desvendava-se de uma vez por todas o segredo do mundo e até para mim aquele programa passava a ser um consolo.
Tenho que assistir mais vezes, a ver se tenho sorte.


John Edward, o médium


imagem tirada
  • daqui

  • 4 comentários:

    Caetano disse...

    Deus existe sim! Defende a baliza do FCP!!

    Guardblanc disse...

    Eu pensava que esse tipo de programas só davam na TVI!... ;)

    Caetano disse...

    Normalmente as perguntas que se fazem, são perguntas que sugerem imediatamente uma respostas, ou que têm como respostas o que as pessoas realmente gostariam de ouvir. Todos estes "mestres do oculto" e "mediuns" que fazem 30 por uma linha so com o poder da mente e com a sua capacidade em invocar os mortos, são artistas televisivos, ilusionistas a quem a televisão dá mediatismo e também condições para continuarem com a farsa.
    Lembro-me por exemplo de um sujeito, o Uri Geller, que em estúdio dobrava talheres com "o poder da mente". Estes e muitos outros mais, venderam inúmeros livros sobre como "curar com o poder da mente" e "como desenvolver os seus poderes paranormais".
    Uma organização que se dedica a "desmontar" este género de esquemas, a CSICOP (http://www.csicop.org/), provou que era ilusões e que os sujeitos em causa eram fraudes.
    Se Deus existe? Há quem diga que sim, por vezes com a mesma convicção que o PCP acredita que ainda irá acontecer a revolução do proletariado, ou que o Alentejo ainda há de ser vermelho outra vez.
    Já agora, porque não perguntar os números do totoloto ou perguntar onde está o Jimmy Hoffa?

    Xamane disse...

    E agora provavelmente será a CSICOP a vender livros à custa da desmontagem das ´farsas´ do Geller e outros, até que uma outra organização qualquer venha ´provar´ que os métodos de obtenção de prova da CSICOP foram fraudulentos apenas com o intuito de criar sensação e atingir objectivos comerciais...e por aí fora... Quanto a mim, os extremos de ambos os lados são fanáticos, uns agarra-se a tudo e mais qualquer coisa que não vêm para se sentirem seguros, outros fecham a mente a tudo o que não intelegem como se o facto de a ciencia andar à frente da prova de tudo, significar que de facto está à frente de tudo, se assim fosse nada mais haveria para descobrir... Fanatismo dos dois lados, uns porque se agarram a tudo o que PENSAM que se mexe, outros por negarem TUDO o que não mexe. O cepticismo é o maior dogma. Tenho dito... ;P

    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...