sexta-feira, dezembro 23, 2005

A sobrinha do Bin Laden


(GQ Magazine)
















Se o tio sabe disto

quinta-feira, dezembro 22, 2005

Nova indumentária nas Repartições de Finanças

Hoje, pela primeira vez, fui capaz de encontrar motivos para rir na Repartição de Finanças do Fundão à qual me havia dirigido no intuito de fazer algumas alterações ao meu registo de contribuinte. Ainda assim, tive de suportar a habitual seca das instituições públicas.

Ao chegar fui confrontado com o facto de existirem agora duas máquinas de distribuição de senhas de atendimento. "Óptimo!" pensei eu. Afinal já havia necessidade de regulamentar um pouco a afluência selvagem dos contribuintes àquele balcão!

Contudo, ao ler a que serviços se destinavam as duas máquinas distribuidoras, uma amarela e outra vermelha, não encontrei nenhuma referência ao motivo que ali me levava: o famigerado IRS, pelo que me dirigi ao balcão para me informar sobre a cor da senha que deveria retirar.

Eu - "Olhe, desculpe! Para alterações ao regime de tributação, qual é a senha que devo tirar?"
Funcionário Público pouco entusiasta e não muito bem disposto - "Mas é para quê?! IRC? IRS?"
Eu - "IRS..."
FPpeenmbd - "Então é aqui!"
Eu - "Pois... mas e qual é a cor da senha?"
FPpeenmbd - "Não tira senha! Só tem de aguardar!"

Claro que para mim foi uma desilusão constatar que, afinal, a selvajaria iria manter-se e que eu teria de fazer pela vida se quisesse ser atendido. Por isso dei alguns passos atrás e fiquei atento às movimentações dos contribuintes que fossem entrando.

Ainda assim fui olhando em volta e pude constatar que havia um apreciável grupo de contribuintes que possuíam senha e olhavam para os painéis numéricos, que indicavam 65 e 47 respectivamente, com um ar de desânimo que dava lugar a um assomo de esperança sempre que algum funcionário público se aproximava do balcão.

Por outro lado, depois de ter contado 5 painéis com os dizeres "PROIBIDO FUMAR!" e outros 3 com os dizeres "SILÊNCIO POR FAVOR!", comecei a olhar com mais atenção para o simpático funcionário que me tinha atendido inicialmente e fiquei impressionado com a sua indumentária. É que o dito funcionário, que denotava evidentes sinais de que em sua casa se praticava uma alimentação farta, vestia uma camisa cujos 2 botões superiores estavam desapertados deixando à luz do dia uma farta pelagem retorcida cuja textura era abruptamente interrompida por um largo fio de ouro.

Por outro lado, no canto da boca, transportava um belo exemplar de palito que, de vez em quando, mudava para o lado oposto da boca. De vez em quando, ouvia-se ainda o nítido som de bocadinhos de palito a serem expulsos violentamente da boca do referido funcionário.

Calculo que tenha esperado cerca de 30 minutos quando surgiu uma funcionária que se abeirou do balcão e olhou para o grupo de contribuintes desesperados que seguravam uma senha. Surpreendida atirou:

- "Mas o que estão aí a fazer? O sistema informático está em baixo! Hoje não vão poder fazer nada!".

Os esgares que os contribuintes dedicaram a toda a massa humana que residia dentro do balcão não deixou dúvidas sobre o facto de, naquele momento, os sentimentos deles serem tudo menos relacionados com o Natal.

A funcionária dirigiu-se então a mim e perguntou-me o que eu queria ao que retorqui explicando novamente que queria fazer uma alteração no meu regime de tributação para passar a pagar IVA do qual até à data estava isento. A resposta foi imediata:

- "Olhe que isso só pode ser alterado em Janeiro! Vai ter de cá passar no mês que vem."

Naquele momento, na minha cabeça, aconteceu um grande massacre no presépio... mas lá me controlei e saí dali mas não sem antes olhar mais uma vez para os painéis numéricos. Meia hora depois de ter entrado, ambos indicavam ainda 65 e 47...

terça-feira, dezembro 20, 2005

Engenharia Nacional

Recebi esta fotografia por e-mail e não contive uma sonora gargalhada. Embora se trate à partida de uma fotografia de dedicados cidadãos anónimos em trabalhos indeterminados e em parte incerta, esta situação não me é assim tão estranha e num próximo artigo irei explicar porquê...

Para vocês todos...

quarta-feira, dezembro 14, 2005

Questão de timming

"O seu SAPO ADSL no telefone XXXXXXXXX encontra-se pronto a utilizar. Para carregar utilize a entidade 20164 e a referência MB XXXXXXXXX de 22,50. Obrigado"

Foi este o SMS que recebi dos serviços da SAPO ADSL hoje às 11h45 da manhã, avisando-me de que o meu serviço pré-pago de Internet de Banda Larga já se encontrava activado e pronto a ser usado. Achei muito atencioso da parte deles e prova também que não dormem na SAPO... vá... ok... pelo menos não dormem até muito tarde... bom, vá lá, são dorminhocos.

É que o meu serviço de Internet de Banda Larga já se encontra activado há mais de um ano e já deixou de ser pré-pago há mais de 4 meses.

Como diria a Juanita: Tuguices...

sábado, dezembro 10, 2005

Para bom entendedor...é melhor traduzir!

> Expõe-me com quem deambulas e a tua idiossincrasia augurarei.>
(Diz-me com quem andas e te direi quem és)

> Espécime avícola na cavidade metacárpica, supera os congéneres revolteando> em duplicado.>
(Mais vale um pássaro na mão, que dois a voar)

> Ausência de percepção ocular, insensibiliza órgão cardial.>
(Olhos que não vêem, coração que não sente)

> Equídeo objecto de dádiva, não é passível de observação odontológica.>
(A cavalo dado não se olham os dentes)

> O globo ocular do proprietário torna obesos os bovinos.>
(O olho do amo engorda o gado)

> Idêntico ascendente, idêntico descendente.>
(Tal pai, tal filho)

> Descendente de espécime piscícola sabe locomover-se em líquido inorgânico.>
(Filho de peixe sabe nadar)

> Pequena leguminosa seca após pequena leguminosa seca atesta a capacidade> de ingestão de espécie avícola.>
(Grão a grão enche a galinha o papo)

> Porta o monarca no baixo ventre.>
(Tem o rei na barriga)

> Quem movimenta os músculos supra faciais mais longe do primeiro,> movimenta-os substancialmente em condições excepcionais.>
(Quem ri por último ri melhor)

> Aquele que aguarda longamente, atinge o estado de exaustão.>
(Quem espera desespera)

> O que V.Ex: anela, estou eu cogniscente.>
(o que tu queres sei eu)

> Deglutir batráquios>
(engolir sapos)

> Colocar o prolongamento caudal no meio dos membros inferiores>
(Meter o rabo entre as pernas)

> Sequer considerar a possibilidade da fêmea bovina expirar fortes> contracções laringo-bucais>
(Nem que a vaca tussa)

> Retirar o filhote de equino da perturbação pluviométrica>
(Tirar o cavalinho da chuva)

> Sugiro veementemente a Vossa Excelência que procure receber contribuições inusitadas na cavidade rectal.>
(Vá levar no...)


Hehehe, o respeitinho é muito bonito! :)

quinta-feira, dezembro 08, 2005

Isto é para beber?!

Terminou o Natal da Europa e com ele terminou a semana de convívio com pessoas fantásticas de vários países europeus que vão sempre deixar saudades.

No final, a generosidade dos participantes levou a uma improvisada troca de presentes, sendo que a oferta mais efusiva veio da parte da delegação de Póznan, Polónia, pela mão da Dra. Przybylak.

Num simpático pacote, seguia também uma garrafa produzida por uma empresa que pelos vistos detém 20% do mercado de bebidas brancas e espirituosas da Polónia.

A minha dúvida é: isto é para beber?????




domingo, novembro 27, 2005

A revolução burocrática ou... uma questão de CU

O Governo já anunciou que, em breve, toda a panóplia de documentos de identificação que o cidadão comum é obrigado a carregar irá desaparecer para dar lugar a um único documento de identificação: o Cartão Único.
Até aqui tudo bem, aplaudo a decisão pela simplicidade que vai trazer a alguns aspectos da nossa vida, no entanto, recomendo vivamente que se altere a sua denominação. Não irá ficar nada bem ao cidadão ver-se confrontado com situações do género:
- Olhe, desculpe mas vai ter de trazer uma fotocópia do seu CU.
- Eh pá, esqueci-me do meu CU em tua casa! Podes trazer-me isso?
- Olhe faz favor! Eu vinha renovar o meu CU!
- Qual é o número do seu CU?
- Mostra aí o teu CU!
Mal posso esperar!

Agradecimentos ao meu camarada Rogério Cunha pela dica!

sexta-feira, novembro 18, 2005

quarta-feira, novembro 16, 2005

Natal é quando o homem quiser… uma vez por ano

Quando ainda falta mais de um mês para o dia de Natal, já se sentem no ar os sinais típicos de que a quadra festiva está a chegar e, tenho a impressão, de que isto acontece cada vez mais cedo.

É tempo de assistirmos ao início da azáfama nas ruas com algumas montras já decoradas, a instalação da tão tradicional iluminação natalícia já vai acontecendo e, provavelmente, começamos já a pensar no que vamos oferecer àquele tio ou àquela tia que no ano anterior teve a gentileza de nos ofertar um belo par de peúgas. Evidentemente, também damos largas à nossa subtileza com discretas e cirúrgicas sugestões a pessoas, estrategicamente escolhidas pela sua proximidade e poder de compra, sobre aquilo que gostaríamos de receber no Natal.

Contudo, o primeiro e mais evidente sinal de que a quadra natalícia está próxima chega-nos através dos meios de comunicação social, principalmente através da televisão, com os repetidos e sucessivos spots publicitários a brinquedos para crianças que, de tão constantes, se tornam também uma tradição de Natal.

É evidente que a criança dentro de mim não fica indiferente aos anúncios de bonecas e Action Men mas, a esta distância etária do tempo em que a minha motivação era outra, fico um pouco assustado com o que se transmite às crianças através destes anúncios.

Recordo por exemplo um em que se apela à compra de um conjunto de bonecas muito in que viajam de carro e tiram fotos e que, para poderem criar um efeito mais completo, obrigam a dona a estar tão ou mais colorida que a maquilhagem aparente das ditas bonecas. Claro que no fim a recompensa chega através da inveja que as bonecas despertam nas amigas das donas.

Depois, temos toda uma gama de anúncios de bonecos de plástico, com musculatura sobre-humana e uma indumentária de deixar o governador do estado da Califórnia roxo de inveja, em situações de acção inverosímil, cujos lemas são “matar”, “atacar”e “destruir”. Isto claro, apenas dois exemplos de um extenso manancial de anúncios do mesmo género.

Que se acautelem os Reis Magos no presépio! Um dia destes ainda vamos ouvir falar de um qualquer miúdo que, equipado com o seu Kit-Rambo ™, atentou à integridade das figuras do presépio gritando palavras de ordem próprias de quem não nutre especial simpatia por personagens que usam turbante.

Obviamente que a própria conjuntura televisiva acaba por não tornar muito surpreendente os anúncios em si que bem encaixam no meio de tanto telelixo, como um qualquer cimento rasca no meio de tijolos de dúbia qualidade.

Por este andar, não me admirava nada que um dia destes surgisse um anúncio a apelar à compra da Barbie Divorciada. Esta teria a grande vantagem de, para além de não trazer o Ken atrelado a si, ainda incluir no conjunto o carro, a casa, as jóias… * suspiro *

São 2 pró quintal lá de casa, sff...!!!!

Em época de rigor e cortes orçamentais, onde 1 cêntimos é 1 cêntimo (não sei onde é k já ouvi isto...), ai está a resposta do Governo em matéria de sinalização!!!
Aproveitem esta magnifica campanha de saldos...

domingo, novembro 13, 2005

Apetece-me dizer

Gosto da nova música da Madonna.

Outra frase jeitosa

Nessa grande estrada luminosa cada homem tem o seu trilho particular. Para encontrarmos esse trilho, precisamos de conhecer aquela parte secreta de nós mesmos que condiciona a nossa vontade e a nossa razão porque é ela que nos define - isto é, o que nos demarca, que fixa os nossos limites e, portanto, os limites impostos ao exercício da vontade pura. - Euménio de Rodes (personagem fictícia)
in A Hora de Sertório, João Aguiar

Frase jeitosa I

Na vida de um homem há sempre um momento especial ou uma pessoa especial que o levam a pôr de lado, ainda que só por algum tempo, as suas regras de conduta. - Quinto Sertório

in A Hora de Sertório, João Aguiar

sábado, novembro 12, 2005

Vox Populi V

"F###S!! EU DEMORAVA MENOS TEMPO A MANDAR UMA F##A!"

Foi com estas palavras que o funcionário de uma estação de serviço aqui do Fundão comentou o facto de o pagamento por multibanco do abastecimento do meu veículo estar a demorar tanto tempo.

Fiquei um pouco sem saber o que responder (será que era para responder?). Só consegui dizer "Bem... isso já depende se do outro lado lhe dessem luta ou não..."

Não há dúvida que a voz do povo fala curto mas fala grosso!

sexta-feira, novembro 11, 2005

quarta-feira, novembro 09, 2005

Fenómeno

Há dias assisti a um fenómeno que posso, sem grande margem para dúvidas, equiparar a ver um suíno a andar de bicicleta.

Encontrava-me eu no meu veículo estacionado à porta do Kredo Bar (pub) quando vejo um canídeo a deslocar-se na direcção de um caixote de lixo que se encontrava perto de mim. Tenho aqui de salientar que o referido bicho tinha uma pata a menos (canídeo, eu compreendo-te e presto aqui o meu apoio e solidariedade convictos) pelo que se deslocava de forma algo atabalhoada sobre as 3 patas que lhe sobravam (faltava-lhe a pata dianteira direita, um pouco como o meu jipe há uns dias atrás).

Até aqui nada de novo. Fascinante foi quando o canídeo resolveu cumprir a sua programação genética que lhe exige que marque o seu território de forma inequívoca. Vai daí, aproximando-se do caixote de lixo, o bicho levantou a única pata do lado direito equilibrando-se sobre apenas duas patas e, creio eu, consegui distinguir um ar de certa satisfação quando este libertou uma apreciável quantidade de urina sobre o caixote de lixo em questão.

Achei que era importante partilhar isto com vocês até porque se pode tirar daqui uma importante lição de vida... ou não. Mas que foi fascinante, isso foi!

quinta-feira, novembro 03, 2005

Questão de linguística

Diálogo de um casal, na sala de espera das urgências do Centro Hospitalar da Cova da Beira, enquanto viam uma reportagem televisiva sobre os MTV Music Awards:

Ele - Olha a Shakira!
Ela - Ah, pois é!
Ele - Já a ouviste falar? Ela fala espanhol mesmo muito bem! Dá para perceber tudo!
Ela - ... Ela sabe falar português...
Ele - Ai é português?!

quarta-feira, novembro 02, 2005

Revolução na comunicação

Com a devida vénia ao(s) visado(s), dou aqui conta de um episódio que terá acontecido recentemente.

Um amigo meu, técnico de informática numa empresa de software em expansão dialogava com um cliente que entrara em contacto com a linha de apoio técnico:

Técnico: Tem e-mail? Vou-lhe enviar uma actualização do programa!
Utilizador aflito: Mail? Não, não tenho. Mas olhe, pode enviar por fax!

sexta-feira, outubro 28, 2005

Estrelinha...

Às vezes penso que sou uma pessoa particularmente sortuda. Pelo menos, momentos houveram em que fiquei com a sensação de que uma estrelinha da sorte me acompanhou já que me safei à justa de situações no mínimo arrepiantes sem qualquer consequência.

A 1 de Abril 1993 (até parece mentira!) estava eu placidamente no mítico salão de jogos "Las Vegas" a jogar snooker com um grupo de amigos que ainda hoje o são, quando ouvi um estrondo vindo da direcção da porta do estabelecimento. Ao olhar, ainda tive tempo de ver uma mulher cair completamente desamparada frente a um indivíduo que segurava uma caçadeira fumegante. Num acesso de raiva, acabava de disparar à queima roupa contra a mulher que era sua vizinha de cima.

Não sei quantas vezes repeti bem alto "Ele deu-lhe um tiro!" enquanto apontava para a porta mas depois tomei consciência do pânico que se apoderou de todos os que na altura se encontravam no salão de jogos.

Como se nada fosse, o indivíduo foi guardar a caçadeira numa arrecadação e voltou a entrar em casa fechando a porta atrás de si. Enquanto isso, no salão de jogos, tentávamos desesperadamente pedir ajuda a bombeiros, PSP ou GNR. Devido ao dia (1 de Abril) todos nos "despachavam" com recomendações para que evitássemos brincadeiras de mau gosto e com censuras. Lá fora, junto à porta, a mulher esvaia-se em sangue entre espasmos. Se poderia ter feito a diferença, certo é que a ajuda chegou tarde demais.

Durante 5 dias tive pesadelos nos quais revia a caçadeira, a mulher caída e o sangue. Quando finalmente consegui pensar de forma relativamente insensível sobre o assunto fui acometido de um súbito pensamento: "O que me teria acontecido se, por algum motivo, a mulher se tivesse desviado da linha de tiro?". Ainda hoje penso nisso e, para quem conhece essa minha faceta, é por isso que ainda hoje não sigo certas "tradições" associadas ao 1º de Abril. Ainda hoje penso que tive sorte.

Passaram-se anos até chegarmos a Agosto passado quando sem esperar me vi metido no combate ao incêndio que devastou a Serra da Gardunha no primeiro fim-de-semana desse mês. Juntando-me a um grupo de 7 outras pessoas, lutámos contra uma frente de incêndio durante 7 horas para proteger a pequena aldeia de Vale de Urso tendo segurado cerca de 2km apenas com pás e ramos.

O momento mais crítico aconteceu por volta das 5 da manhã quando, em fracções de segundos apenas, fiquei isolado do resto do grupo pelo fogo que subitamente me cortou o caminho. Apenas ouvia a voz do meu pai do outro lado de uma parede de fogo que me gritava para que fugisse. Ao ver-me naquela situação, perante o isolamento e o ruído semelhante ao de uma enorme catarata do incêndio que se aproximava de mim, e após um instante de completo pânico, fui acometido de uma certa incredulidade e de algum conformismo, e nesse momento pensei "Não acredito... Vai ser aqui e vai ser assim!". Depois a raiva sobreveio e decidi correr ao longo do caminho que curvava na direcção do incêndio para tentar encontrar um caminho que me levasse para longe do incêndio.

Não sabia como estava a situação na base do monte (encontrávamo-nos a meia encosta) mas, como conhecia bem a região, sabia que se encontrasse um caminho que me levasse para a esquerda, iria ser conduzido até ao fundo do vale onde encontraria a ribeira. Iluminado pelo incêndio que chegava mais perto, encontrei passados cerca de 100 m uma picada que cortava para a esquerda. Pouco depois, com algumas ameças de queda pelo meio, a picada terminava e aí percebi que já me tinha afastado do incêndio pois não via um palmo à minha frente. Apenas distingui a copa das árvores no céu nocturno fazendo um círculo ao meu redor. Apalpando o terreno e usando a luz ténue do meu telemóvel, consegui passar pela parede de arbustos e, pouco tempo depois, já me encontrava na encosta oposta do vale, tendo chegado à estrada.

O resto da história já é conhecida: encontrei um jipe de bombeiros e voltei ao local onde ainda se encontravam os meus camaradas, à cabeça de uma coluna de 3 auto-tanques que acabaram por extinguir a frente de incêndio. Só então percebi que a claridade das 7h da manhã já deixava ver o cenário de devastação que acontecera na Gardunha nessa noite.

Mas porquê falar disso hoje? Talvez pelo que me aconteceu hoje de manhã por volta das 8h. Enquanto saía para o trabalho, abri o portão da cerca da propriedade dos meus pais para poder tirar o carro. Tendo de voltar a fechar o portão, mal saí, travei para imobilizar o carro e assim poder sair. Então aconteceu: senti subitamente o pedal de travão a ceder e o carro estacou. Não liguei e fechei o portão. Quando tentei voltar a arrancar com o carro, este recusou-se e só então percebi que a roda dianteira do lado direito ficara pura e simplesmente bloqueada, enquanto que o pedal de travão deixara de responder.

Chamei o meu mecânico para ver o que se passava e dirigi-me para a escola ao volante do mítico Caetanomobile que estava haviam já 3 semanas a enferrujar nas traseiras da casa. Uma hora depois, como planeado, estava a caminho da Guarda pela A23.

No regresso, fui ver se o mecânico já tinha um diagnóstico do que tinha acontecido e, qual não foi o meu espanto quando este me disse que o problema tinha sido causado por uma pastilha de travão colocada ao contrário que tinha desgastado completamente o disco de travão. Ao fazê-lo, passou para o lado oposto do disco e pura e simplesmente prendeu a roda.

Tivesse acontecido uma hora depois do momento em que aconteceu e eu estaria a conduzir a cerca de 120 km/h na autoestrada. A partir desse momento no mínimo a minha vida nunca mais seria a mesma.

Inquietante foi também a explicação aventada pelo vendedor que me forneceu o jipe: segundo ele, um concorrente não teria gostado do facto de ele ter ficado com o veículo e então "desejou"
que algo de mal lhe acontecesse no caminho de regresso.

Tive sorte, acho eu.

quarta-feira, outubro 26, 2005

Caetano em caracteres!!!



oh caetano!!!! olha só a foto que eu tirei hoje a um trabalho que estava na porta de uma sala da minha faculdade...diz lá, parece-te alguém? lol até me assustei qdo vi... *

sábado, outubro 22, 2005

Vox Populi IV

Entrevista de rua no programa "A Revolta dos Pastéis de Nata" a uma senhora com aspecto de quem, distraidamente, perdeu os últimos 20 anos de cultura geral:

Entrevistador: - Gosta de reality shows?
Senhora: - ... (ar confuso)
E: - Big Brother, 1ª Companhia...? Gosta?
S: - Bemmmm até gosto. Não é mau.
E: - Porquê?
S: - (ar confuso) Atão... porque as músicas são giras!
E: - (ar confuso) As músicas?!
S: - Sim atão? Isso não é um cantor?

sexta-feira, outubro 21, 2005

Mais olhos que barriga

Devia ser para evitar casos destes que a minha mãezinha sempre me disse para mastigar bem a comida antes de engolir...

Espreitem aqui

Às vezes não precisamos de marcianos


"Nunca antes, na história do Mundo, uma tão grande massa de seres humanos se movimentara em tal dimensão e sofrera tanto em conjunto. As lendárias hostes dos godos e dos hunos, os imensos exércitos da Ásia, teriam sido como que uma gota de água nesta torrente. E não se tratava de uma marcha disciplinada; era uma fuga desenfreada - desenfreada e terrível -, sem disciplina e sem objectivo. Seis milhões de pessoas desarmadas e sem provisões, à deriva. Era o desabar da civilização, o começo do massacre da humanidade."

in A Guerra dos Mundos de H.G. Wells

The Cure - Friday I'm In Love

Acabei de ouvir esta música e sempre lhe achei piada:

I don't care if Monday's blue
Tuesday's grey and Wednesday too
Thursday I don't care about you
It's Friday i'm in love


Monday you can fall apart
Tuesday Wednesday break my heart
thursday doesn't even start
It's Friday I'm in love

Saturday wait
And Sunday always comes too late
But Friday never hesitate...


I don't care if Monday's black
Tuesday Wednesday heart attack
Thursday never looking back
It's Friday I'm in love


Monday you can hold your head
Tuesday Wednesday stay in bed
Or Thursday watch the walls instead
It's Friday i'm in love

Saturday wait
And Sunday always comes too late
But Friday never hesitate...


Dressed up to the eyes
It's a wonderful surprise
To see your shoes and your spirits rise
Throwing out your frown
And just smiling at the sound
And as sleek as a shriek
Spinning round and round
Always take a big bite
It's such a gorgeous sight
To see you in the middle of the night
You can never get enough
Enough of this stuff
It's Friday
I'm in love

quinta-feira, outubro 20, 2005

Imperdível

Já andei prestes a pedir a alguém emprestado um qualquer romance da Margarida Rebelo Pinto, para satisfazer a minha curiosidade. Mas depois de ter lido no blogue Esplanar, de João Pedro George, a dissecação à obra da dita cuja, não só fiquei a conhecê-la por completo, sem necessidade de contacto directo, como ainda pude rir às gargalhadas. Recomendo.

Tuguices II

Neste Portugalinho surge cada moda... Então não é que agora lhes deu para adaptarem as cantilenas das claques de futebol aos comícios e "recepções" de apoio aos candidatos eleitorais?

Nas autárquicas, o ridículo ouviu-se bem alto em várias sedes de campanha: "E ninguém pára o Carmona, ninguém pára o Carmona, ninguém para o Carmona, Ô- ÉÉ-ÔÔÔÔ!" (o mesmo no Porto, com a versão "Ninguém pára este Rio").

Pois hoje, após a pompa mediática com que Cavaco apresentou a sua candidatura à Presidência da República, vinha ele a sair da sala rodeado de jornalistas, quando se começou a ouvir algo parecido com o que os SuperDragões e o Colectivo 95 cantam no estádio do campeão do mundo ("Allez Porto Allez, Nós somos a tua voz...): "ALLEZ CAVACO ALLEZ...".

Good Lord!

O tigre, o dragão e ... o saco de pancada


Hoje voltei a treinar Karaté depois de um interregno de 10 anos. Confesso que havia já algum tempo que pensava em fazê-lo mas as vissicitudes do meu dia-a-dia não o tinham ainda permitido até hoje.

Finalmente, foi uma sensação familiar (com alguma melancolia à mistura) voltar a pisar aquele tapete e só então me apercebi que tinha saudades daquele ambiente e daquelas sensações que chegaram a ser tão naturais para mim como qualquer outra coisa corriqueira da minha vida.

Descobrir que ainda me recordava da muita coisa foi sem dúvida surpreendente mas... a agilidade e o peso já não jogam a meu favor. Sinto-me gordo que nem um texugo e com a agilidade de uma preguiça.

O momento alto do treino aconteceu contudo quando decidi matar saudades de combater e aceitei o desafio de alguém com mais uns quilitos e muito mais ágil que eu. Resultado: já não levava uma coça assim desde que em 1987 levei um enxerto do Humberto do 1ºC. E olhem que foi uma valente coça! Oh se foi...!

domingo, outubro 16, 2005

Ciclos Musicais de Outono

Na última sexta-feira tive oportunidade de apreciar um serão diferente do habitual, com muita música pelo meio. Após gentil convite do Hotel Príncipe da Beira, tive oportunidade de assistir à primeira de 3 noites de um ciclo musical de música erudita.

Num ambiente acolhedor, confortável e intimista, saboreando uma deliciosa caipirinha, ouvir obras de Piazzolla, Villa-Lobos, Beethoven, Gershwin e Joplin, interpretadas pelo Quarteto B4 (violino, clarinete, guitarra e contrabaixo), constituiu um verdadeiro bálsamo de duas horas para o espírito e o escape ideal das preocupações de mais uma semana de trabalho.

Esta iniciativa irá repetir-se no próximo dia 4 de Novembro, com o (Des)Concertante Trio (clarinete, violoncelo e acordeão) e finalmente no dia 18 de Novembro com um concerto de Canto e Harpa.


Imperdível!

quinta-feira, outubro 13, 2005

O que a Cientologia faz às pessoas




Nas minhas deambulações cibernéticas procurei saber mais sobre essa coisa chamada Igreja da Cientologia. Afinal de contas, se o Tom Cruise promove aquilo como castanhas assadas em Novembro e todos os meses contribui com um cheque chorudo para a causa, deve haver ali gato.

Pois ao que parece a Cientologia é uma suposta religião fundada nos anos 50 por um autor de livros de ficção científica (ok, penso que isto diz tudo, não?) e que advoga que o homem tem capacidades mentais ilimitadas e que esta Igreja ajuda a desenvolvê-las. Então o que fazem é introduzir na cabeça do "crente" uma série de verdades banais e lugares comuns, dando-lhes ao mesmo tempo a aparência de "ciência" e de espiritualidade suprema, mas conseguindo também aplicar eficazes métodos de controlo e alienação mental.
Em troca destes elevados "conhecimentos" e da orientação para a perfeição, a Igreja da Cientologia suga os clientes até ao último centavo. Extensa começa já a ser a lista das mortes misteriosas de membros da Cientologia, muitas delas por suicídio.

A prova final da aldrabice é para mim a resposta da Jenna Elfman (a Dharma do Greg), outra famosa "cientologista", quando lhe pediram para contribuir para uma angariação de fundos da luta contra a SIDA: " A SIDA não é uma doença, é um estado de alma".

segunda-feira, outubro 10, 2005

Questão de cálculo

Sábado, 8 de Outubro de 2005, algures durante a tarde. A selecção de Angola acaba de se apurar pela primeira vez na sua história para o Mundial 2006 na Alemanha.

A comunicação social portuguesa aproveitou para fazer uma ampla cobertura do evento, inclusive com transmissão do jogo em directo e no rescaldo fez várias ligações directas a Luanda, onde o povo, embora ignore o que fica mais longe, se o enclave de Cabinda ou a Alemanha, invadia as ruas em festa.

Momento de reportagem radiofónica, de uma rádio bem conhecida, com ligação a Angola:

- "Vamos agora em directo para Luanda. Alô (nome do enviado)! Como estão as coisas em Luanda?"

- "Boa tarde! Como deves calcular, a alegria é incalculável!"

Sublime!

PS - Já agora, alguém me pode explicar o conceito de país irmão na relação Portugal & Angola?

"A" Notícia

“Centros Comerciais Cheios”

“Ontem a chuva levou milhares de lisboetas para dentro dos centros comerciais, muitos dos quais não tinham qualquer intenção de ir votar.”

Correio da Manhã
10/10/2005

Pequeno apontamento noticioso (??) inserido no topo de uma página dedicada ás eleições autárquicas. Assim, sem mais, num pequeno bloco sombreado.

Atente-se na segunda parte da frase, a relevância, a sagacidade, a convicção da afirmação, a certeza de que muitos dos que entraram nos centros comerciais não só ainda não tinham votado como nem sequer tinham intenção de o fazer.

A ânsia de resumir uma ideia óbvia e de senso comum, leva por vezes a que se escrevam estas banalidades jornalísticas (vulgo encher chouriço).

quarta-feira, outubro 05, 2005

Temos artista!

Este blog, para além de uma panóplia de Sôtores, possui ainda nas suas fileiras uma grande artista! Basta espreitar aqui!

terça-feira, outubro 04, 2005

Estreia de vida

Hoje, pela primeira vez na vida, recusei uma proposta de emprego sem sequer ter tentado saber os valores envolvidos. Sinto-me realizado.

segunda-feira, outubro 03, 2005

Vox Populi III - O Eclipse


Hoje aconteceu um eclipse solar como já não se assistia há 100 anos! Quem não aproveitou para queimar as retinas hoje poderá novamente tentar lá para 2020 e tal, mais tal menos tal. O último eclipse solar visível em Portugal aconteceu a 11 de Agosto de 1999 (como era diferente a minha vida nesses tempos... *suspiro*!).

Nessa altura, tive oportunidade de recolher testemunhos de sabedoria popular que para sempre ficaram na minha memória. Não estou a falar daquela peixeira do Bolhão e respectiva neta que se tinham armado de alhos porque, a fazer fé no Telejornal do dia anterior, os vampiros iriam aproveitar o eclipse para fazerem das suas. Estou a falar de pessoas reais, de casos reais e de palavras irreais.

Fundão, 11 de Agosto de 1999, 9h30:
Sra X - "Rápido! Rápido! Atenda-me depressa!"
Sra Y - "Calma! Qual é a pressa?"
Sra X - "Quero ir para casa rápido! Diz que vem aí o eclipse e quero fechar as portas e janelas e tapá-las com um cobertor!"

Loulé, 12 de Agosto de 1999, hora incerta algures durante a tarde:
Jovem X - "Tão pá? Viste o eclipse?"
Jovem Y - "Bah!!! Eu não acredito nessas coisas!"

Choque

Mas há mesmo quem goste deste vómito?


50 Cent

domingo, outubro 02, 2005

Mais um pensamento


"Como seria estreita e miserável a nossa vida se as nossas esperanças não fossem tão vastas e transbordantes!" - Mohamed Ibn Alahmar "El Galhib"

Washington Irving, "Contos do Alhambra"

sábado, outubro 01, 2005

A tomada da Bastilha


Li recentemente um livro dedicado à Revolução Francesa que acabou por ser surpreendente pela desmistificação de alguns episódios, inclusive do próprio acontecimento que, pensava eu, assinalava o início da Revolução.

Tradicionalmente, a tomada da Bastilha a 14 de Julho de 1789 é tida como um momento simbólico de revolução do povo que, pegando em armas, derrubou a tirania de uma monarquia absolutista, simbolizada na própria fortaleza, e libertou os prisioneiros que se lá encontravam. Ao ler o livro descobri que afinal a coisa não foi bem assim tão gloriosa e romântica.

Em 1788, a França com os seus 26 milhões de habitantes estava em crise, mergulhada num profundo défice (pior que o nosso!) e numa grande crise social. O Rei Luís XVI decidiu então convocar os Estados Gerais que agregavam as 3 classes sociais: nobreza, clero e o 3º estado (povo). Essa assembleia aconteceria em Maio de 1789 e duraria várias semanas.

Sentindo-se excluídos pelas classes altas das decisões principais, o 3º estado que contudo se encontrava em maioria, decidiu fazer uma revolução política tendo-se declarado como Assembleia Nacional e decidindo legislar a partir daí e procurando dotar o reino de uma Constituição. Embora com alguma resistência inicial, o rei capitulava a 9 de Julho, decidindo que o clero e a nobreza deveriam aderir também a esta Assembleia que assim passava a estar legitimada e oficial. Terminava o regime absolutista e a França abraçava uma monarquia constitucional.

Começou no entanto a viver-se em clima de receio e paranóia devido à incerteza do resultado desta transformação política. Por um lado temia-se um movimento contra-revolucionário e por outro temia-se a reacção popular a uma situação de incerteza política numa situação de carência quase extrema.

Estes receios não eram infundados uma vez que a dada altura, começaram a circular entre o povo boatos de que bandoleiros ameaçavam o povo e também que os aristocratas estavam a pensar em deixar os parisienses famintos. A destituição de Necker, um ministro que recolhia a simpatia popular, e a chamada ao governo de um adepto de medidas rigorosas e excepcionalmente firmes, mais não fizeram que aumentar a agitação popular. Quase de imediato, começaram a acontecer pilhagens um pouco por toda a cidade de Paris. Em reunião de emergência, foi criada uma milícia burguesa destinada a manter a ordem mas... faltavam armas e era essencial obtê-las!

Na manhã de 14 de Julho de 1789, a multidão começou a pilhar o arsenal enquanto outros grupos saqueavam cerca de 32.000 espingardas no Hotel dos Inválidos. Então alguém se lembrou da fortaleza da Bastilha. A Bastilha tinha sido construída em 1382 para proteger o lado Este de Paris e servia desde o Séc. VII como prisão do estado embora estivesse em franca decadência. Uma multidão precipitou-se então para a Bastilha para aí procurar armas.


Nessa altura, o Governador da fortaleza que estava defendida na altura por 7 guardas suiços, alguns inválidos e alguns canhões, tentou numa primeira fase negociar com a turba enfurecida. Porém, talvez por excesso de nervosismo, um tiro disparado inadvertidamente desencadeou os acontecimentos e durante 4h o combate foi renhido. O governador, vendo que pouco havia a fazer, tentou negociar uma rendição pacífica, pela qual ele e os seus guardas seriam poupados mediante a entrega da fortaleza.

A multidão precipitou-se então para a fortaleza e assassinaram o governador e os guardas tendo depois decidido libertar os prisioneiros. Enquanto as cabeças do governador e dos seus guardas eram exibidas em lanças pela cidade, nas masmorras os vencedores verificavam que só ali estavam encarceradas 7 pessoas: 1 acusado de incesto, 2 loucos e 4 falsários. Estes últimos seriam alguns dias depois novamente presos.

Acontecimento de pouca importância, a Tomada da Bastilha foi apresentada como um símbolo da vitória do povo sobre a "Tirania Régia". A fortaleza começou a ser demolida 2 dias depois enquanto o Rei voltava atrás e reinstituía Necker como ministro para além da tomada de outras medidas de reconciliação. No 17 de Julho o Rei voltaria a Paris onde seria recebido pelo povo com gritos de "Viva o Rei! Viva a Nação!". Luís XVI morreria na guilhotina a 21 de Janeiro de 1793.

imagem tirada daqui

quinta-feira, setembro 29, 2005

Outro pensamento


"O que é o amor de um homem inquieto e vagabundo? Uma onda caprichosa que tarda um instante junto a cada flor da margem e passa, deixando-as inundadas em lágrimas"

Washington Irving, "Contos do Alhambra"

terça-feira, setembro 27, 2005

Apelo!

Quando todos os outros métodos falham, por vezes a última solução é apelar aos larápios na esperança de que, quiçá, eles tenham um código deontológico. Seja como for, também estamos em época baixa uma vez que a maioria dos profissionais da classe se encontra envolvido na campanha para as eleições autárquicas.


imagem enviada por mail

quinta-feira, setembro 22, 2005

Vox Populi II

Diálogo entre uma jornalista da TSF e uma cidadã anónima de Felgueiras, ontem, 21 de Setembro de 2005:

Jornalista - Olá! A senhora está aqui desde que horas?

Senhora X - Hein?!

Jornalista - A SENHORA ESTÁ AQUI DESDE QUE HORAS?

Senhora X - Estou aqui desde as 9h!!!

Jornalista - Então e o que está aqui a fazer?

Senhora X - Estou aqui para apoiar a Fátima Lopes... Hemm... Felgueiras! Felgueiras!

terça-feira, setembro 20, 2005

Simon Wiesenthal (1908 - 2005)


"A sobrevivência é um privilégio que traz consigo obrigações. Irei para sempre perguntar a mim próprio o que posso fazer por aqueles que não sobreviveram"

Faleceu hoje em Viena, Áustria, Simon Wiesenthal, conhecido como "A Consciência do Holocausto". Sendo judeu, Wiesenthal sofreu, à semelhança de 6 milhões de outros judeus, a barbárie do regime nazi durante a II Guerra Mundial, tendo perdido 89 familiares.

Ele próprio foi prisioneiro de vários campos de concentração até ser libertado pelos americanos a 5 de Maio de 1945 do campo de concentração de Mauthausen. Enquanto o resto do Mundo parecia querer esquecer o Holocausto e curar o mais rápido possível as feridas profundas do conflito, Wiesenthal decidiu dedicar a sua vida a impedir que a memória do que aconteceu não caisse em esquecimento, tendo trazido à justiça cerca de 1.100 criminosos de guerra.

Aos 96 anos, desaparece alguém que para mim será sempre uma das figuras maiores do Séc. XX. Que o seu trabalho sirva de inspiração para o futuro abrindo caminho à universalização de um desejo que certamente era o seu:

"NUNCA MAIS"

sexta-feira, setembro 16, 2005

Vox Populi I

Cidadão não identificado queixando-se da situação de crise que se vive algures no Norte do País:

"Eu sinto as dificuldades no meu dia-a-dia mas há pessoas que as sentem todos os dias!"

terça-feira, setembro 13, 2005

Mais uma tourada de morte...

E enquanto a passividade e permissividade se vão arrastando, no último Sábado em Reguengos de Monsaraz deu-se mais uma tourada "típica" que, para não variar, terminou com a morte do touro... desta vez à pancada!

Não sei o que mais me choca, se o facto de se persistir em mascarar brutalidade com o nome de "tradição" ou se o facto de, aquando da morte do touro, o coeficiente médio de inteligência na arena ter descido abaixo de metade.

domingo, setembro 11, 2005

Porque não podia deixar de ser...


PARABÉNS JUANITAAAAAA!

Não esquecemos...

...onde estavamos e o que estavamos a fazer há exactamente 4 anos.
É justo dedicar um minuto dos nossos pensamentos a todos os que morreram como fruto dos ataques terroristas e do imperialismo cego e desenfreado que se lhe seguiu.

sábado, setembro 10, 2005

George W. Bush

Para o extenso clube de fãs deste grande líder da democracia, liberdade e outros valores humanos que se possam chamar aos poços de petróleo do Médio Oriente, este site é uma referência! Contém uma lista extensa das mais pertinentes intervenções do Presidente dos EUA e das piadas a ele associado.

A ver em
http://eul0000562.eu.verio.net/boreme/funny-collections/politicians-george-bush-p1.php

Uma nova versão dos Senhor dos Anéis...


... é a proposta do realizador Marc Schippert em The Ring Thing, uma película de origem suiça que promete arrasar as bilheteiras. Vale a pena visitar o site e ver o clip promocional.

Para aguçar o apetite (ou não), aqui fica uma sinopse retirada do site... Acredito que seja elucidativa mas os meus conhecimentos de alemão só me permitem perceber a primeira frase.

"Shit happens. Eigentlich wollte Fredi für seinen Hochzeitsantrag üben. Statt dessen stürzt er mitsamt Ring aus einer Flugzeugtoilette direkt in die Alpen – und findet sich in einem verrückten Märchenreich. Mittelerde ist… mitten in der Schweiz! Dummerweise wird Fredi hier für den Hobbit Friedo gehalten und von ein paar total schrägen Märchenfiguren in eine wilde Odyssee hereingezogen, um die Welt vor dem fiesen Zauberer Lord Sauraus zu retten. Dabei will er doch nur seinen Ring zurück – und endlich nach Hause! "

Vejam mais em theringthing.ch

quinta-feira, setembro 08, 2005

Adeus torres




Antes de mais, vou tentar explicar o que a península de Tróia significa para mim. Pois desde que eu sou gente que me lembro daquele pedaço de terra, mar, praia, árvores e prédios como sendo também uma coisa muito minha, apesar de aquilo já estar situado no concelho de Grândola (who cares?!) e penso que é assim para muitos sadinos como eu. Posso mesmo dizer que não me lembro, assim de repente, de nenhum outro sítio tão carregado de símbolismo na minha existência de vinte e dois anos.

Amizades & amores (que lembranças!), incontáveis fins de tarde deliciosos na praia, os jogos de verão na Praça das Quadras, incluíndo aquele cómico mini-golfe, que me proporcionaram um convívio fabuloso com gente que entretanto nunca mais vi, os dias inteiros passados nas piscinas da Galé e Bico das Lulas, a travessia do Sado a ver os golfinhos (perdão, roazes-corvineiros), a paisagem da cidade ("uma das mais belas baías do mundo") e da Serra (somente beliscada pela horrenda fábrica da Secil), e até mesmo grandes aventuras (lembro-me assim de repente de quando eu e uma amiga minha espetámos o nosso carro de ferros a pedal, daqueles que se alugam, num dos automóveis estacionados na zona residencial, tendo fugido a sete pés do local do crime - só tínhamos 13 anos)... Está tudo ali em Tróia.

As torres-aberração que vieram agora abaixo sempre fizeram parte da "paisagem", e lembro-me sempre de passar por elas, olhá-las e sentir uma espécie de arrepio fantasmagórico. Mas enfim, sempre estiveram lá, sempre estive habituada a elas.
Devo dizer que fiquei um pouco espantada pelo mediatismo da coisa, sobretudo quando soube que a implosão ia ser transmitida em directo na tv. Não obstante, é óvbio que sabe melhor ver "in loco".

Hoje lá estava a vizinhança reunida no terraço do prédio, tudo a postos para o nosso próprio "11 de Setembro" (só que foi mais um 8 de Setembro) - ressalvando as evidentes diferenças, é claro - e eu até fui munida de binóculos, acenando às pessoas dos terraços ao lado. E então, à hora marcada, vieram abaixo as nossas "twin towers", enquanto o barulho da demolição ainda demorou um bom tempo até chegar à cidade.

E em poucos minutos acabou-se tudo, voltámos todos às nossas vidas.
Fiquei no entanto a pensar se o empreendimento turístico de luxo que aí vem acabará definitivamente com as tardes tão felizes que a Tróia me deu até hoje.

imagens
  • daqui
  • e
  • daqui
  • quarta-feira, setembro 07, 2005

    Porque nós prometemos...
    Veja Jesus Cristo(tm) em sua casa!

    Porque no Blog do Katano acreditamos que a confiança do leitor é nossa melhor recompensa, porque no Blog do Katano acreditamos no compromisso e honramos a nossa palavras, damos agora aos nossos leitores uma oportunidade única: a de verem Jesus Cristo(tm) nos seus próprios lares, um pouco por todo o lado!

    É simples:

    Na imagem abaixo, olhem fixamente para os 4 pontinhos centrais durante 10 a 12 segundos. Em seguida, olhem para uma qualquer parede e pisquem os olhos (quanto mais rápido melhor)!


    O melhor, é que ao fim de 50.000 utilizações, já nem precisam da imagem para ter a visão!

    * Jesus Cristo é uma marca registada por Vaticano S.A.R.L.. Qualquer uso abusivo sem autorização de Sua Santidade poderá incorrer em excomunhão. Vaticano S.A.R.L. since 1.d.C.

    Relatório da ONU de Desenvolvimento Humano 2005

    A ONU acaba de publicar o Relatório para o Desenvolvimento Humano 2005 no qual dá conta da disparidade sócio-económica actual a nível global. Em termos de qualidade de vida, o melhor país para se viver actualmente é a Noruega enquanto que no pólo oposto temos o Níger. É também preocupante saber que:

    - A cada hora morrem mais 1.200 crianças;

    - Todos os anos , 11 milhões de crianças morrem antes de chegarem aos 5 anos de idade (metade deste número ocorre na África sub-Saariana;

    - Mais de 1 bilião de pessoas vivem com apenas 1 dólar por dia;

    - Existem quase 40 milhões de pessoas infectadas pelo HIV;

    - As 500 pessoas mais ricas do Mundo conseguem um rendimento superior aos 450 milhões de pessoas mais pobres do Mundo.

    terça-feira, setembro 06, 2005

    Gostava de poder ver Jesus Cristo (tm)?

    Acha mal Cristo(tm) só aparecer aos outros?

    Acha mal só ter tido oportunidade de ver no último filme de Mel Gibson e ainda assim não conseguiu perceber nada do que ele dizia?

    Então não perca esta oportunidade! Visite o Blog do Katano amanhã e veja Cristo (tm) em sua própria casa!!

    Oportunidades destas, só no blog do Katano!

    * Jesus Cristo é uma marca registada por Vaticano S.A.R.L.. Qualquer uso abusivo sem autorização de Sua Santidade poderá incorrer em excomunhão. Vaticano S.A.R.L. since 1.d.C.

    domingo, setembro 04, 2005

    Um pensamento


    "Como é fácil, no pináculo da glória e da prosperidade, pregar o heroísmo aos derrotados! Poucos são os que compreendem que a vida pode ter mais valor para os desafortunados quando já nada mais lhes resta."

    Washington Irving, "Contos do Alhambra"

    Vá para onde???

    Não pude deixar de notar que num dos últimos posts da autoria desse pedaço de mau caminho que é a Catarina, um qualquer proprietário, que provavelmente terá tido algum dia menos agradável, comunicava de forma escrita a um qualquer transeunte que se apresentasse num local específico, que este último deveria evitar qualquer tipo de paragem no local, devendo pelo contrário parar num local onde, segundo o proprietário, se encontraria a mãe do transeunte. No mesmo aviso, o proprietário não se coibiu de opinar acerca da profissão da mãe do transeunte em questão, o que, a meu ver, não havendo certezas sobre o assunto, seria de evitar.

    Mas isto tudo porquê? Simplesmente porque me lembrei de um site de cariz humorístico, isto nos idos anos 90 do século passado, que eu consultava com regularidade e que se intitulava simplesmente "PUTAQUEPARIU". Ora, como não poderia deixar passar esta oportunidade de impressionar os meus amigos com a minha veterania e extensa panóplia de memórias, qual registo histórico, que detenho, eis aqui uma singela homenagem a essa equipa de além mar que me animou várias tardes.


    A arte de bem tripar!





    Isto é q é atitude...raça...
    O nosso Portugal só nos dá alegrias... :)

    *imagens recebidas via e-mail

    Turminha da Mônica 4ever!



    Há coisas que nos marcam para toda a vida...E por isso aqui fica a minha homenagem à TURMA DA MÔNICA porque foi graças ao tempo que perdi a devorar estes gibizinhos que não me meti na droga ou outras coisas consideradas socialmente como "comportamentos desviantes". Hoje posso dizer que sou uma pessoa ...normal!
    Um bem haja à Maurício de Sousa Produtora por continuar a presentear milhões de crianças com esta forma inteligente e sensível de transmitir valores sociais, morais e éticos. :)

    sábado, setembro 03, 2005

    Falta de profissionalismo

    Há definitivamente algo errado com a formação profissional nos EUA, inclusive no que diz respeito às agremiações de criminosos e o caso de uma dupla que viu frustrados os seus intentos é paradigmático.

    Ao que parece, esta dupla dedicava-se a roubar combustível de outros veículos em áreas de serviço, tendo alcançado um relativo sucesso e tendo enraizado o modus operandi de tal forma que mais pareciam a equipa mecânica da Ferrari quando o Schumacher pára pelas boxes em plena luta pelo 9º lugar.

    Assim, estes meliantes, usavam o "método do tubinho" para extrair combustível dos outros veículos para o seu próprio automóvel. Ora... já se sabe, quando a coisa corre sempre bem, a confiança aumenta, se a confiança aumenta as precauções diminuem e, num ápice, os erros surgem.

    Então, um belo dia, a dupla infame esqueceu-se de um pormenor importante e extrairam combustível de um camião, a gasóleo, para o seu carro, que usava gasolina. Claro que quando quiseram por-se em fuga o carro não pegou e eles ficaram muito intrigados com a situação de súbita imobilidade. Deduziram logo que o problema só poderia ter origem no depósito de combustível e o diálogo que se seguiu foi algo parecido com o seguinte:

    Meliante A - "Eh pá, será que há alguma coisa aqui dentro a entupir isto?"

    Facínora B - "Porra, como queres que eu saiba, não se vê ponta de um corno!!!"

    Meliante A - "Toma o meu isqueiro para veres melhor!"

    ...


    Esta ilustração paintesca é dedicada à Catarina

    quarta-feira, agosto 31, 2005

    Padrão de horário liberal

    Depois disto, difamem o meu discreto espírito de trabalhador dedicado a recuperar o país, dizendo que tenho um horário super vago e liberal... Tenho, tenho... Em contrapartida há por aí cada barbeiro...!


    Image recebida via e-mail

    terça-feira, agosto 30, 2005

    Hasta la victoria, siempre!

    Hoje decidi ir cortar o excesso de pilosidade que trazia do maxilar ao crânio. Fi-lo sobretudo para evitar que um qualquer sujeito com sotaque hispânico tivesse a tentação de me abraçar dizendo, quiçá de lágrima no canto do olho, "Che! Afinal não morreste!".

    domingo, agosto 28, 2005

    A frase do dia

    "QUERES LEVAR COM A MANGUEIRA NOS CORNOS?!?"

    Dito por uma avózinha para a sua netinha em plena praça dos Paços do Concelho de Castelo Novo, quando de forma insuspeita se cruzava com o grupo de dignatários que iam inaugurar o Núcleo Museológico de Castelo Novo.

    Viva Portugal Profundo!

    sexta-feira, agosto 26, 2005

    A não perder...

    Virtual Match Reports da 1ª Jornada da Liga Betadine no blog irmão Zé do Boné!

    segunda-feira, agosto 22, 2005

    Este país é uma vergonha

    Não bastava estarmos na "cauda da Europa"; não bastava termos um défice gigantesco e a certeza de que só chegaremos ao nível médio europeu actual daqui a umas décadas (não importa, continuamos a gozar o maior período de férias); não bastava termos o maior número de infectados com o HIV, doentes de cancro, pacientes cardíacos a as maiores listas de espera na saúde; não bastava sermos um país triste, amorfo, ignorante, avestrudesco, sem desejos, projectos nem ambições. Não bastava já essa longa lista de traumas, complexos e incompetências, ainda temos que ver todos os santos verões a repetição desse filme de terror intitulado "Portugal a arder".

    Todos os anos, lá vêm esses palhaços que ocupam os lugares de poder dizer que vão ser gastos x milhões de euros nisto, xx milhões naquilo, que mandamos vir equipamento e construir infrasestruturas, que "estamos a trabalhar", "vamos corrigir o que tem sido mal feito", etc . Eles mentem! Não acredito numa única palavra!

    Todos os anos alguém pega fogo algures por razões que ultrapassam a minha capacidade de comprensão e todos os anos os nossos cidadãos automobilizados, esses exemplos de cidadania e respeito pelo próximo, atiram beatas de cigarro pela janela fora com a maior das descontracções, provavelmente enquanto ultrapassam numa curva e em traço contínuo.

    Todos os anos a mesmíssima coisa.
    Tenho vergonha de ser portuguesa!

    sexta-feira, agosto 19, 2005

    Uma questão de ética

    Andava eu a navegar sem rumo quando encontrei um site (que por razões éticas não vou aqui divulgar) que, desculpem os autores, era fraquito. Pronto, não era mesmo grande coisa. Ok, pronto, era péssimo! Terrível! Mas devo confessar que eu próprio me lembro de fazer um site assim em 1995.

    O mais curioso era ver que neste site (que por razões éticas não vou aqui divulgar) existia um link para um livro de visitas. Pensei logo "estes tipos estão a pedi-las, katano!". Há uma regra básica que diz que, se o nosso site não for grande especialidade, nunca, mas NUNCA, devemos incluir um livro de visitas, caso contrário sujeitamo-nos à dureza da crítica incontida de um público por vezes difícil.

    Lá fui espreitar e a única entrada no livro de visitas deste site (que por razões éticas não vou divulgar) dizia:

    "Exmos. Srs.
    Recebemos um fax vosso a informar que tinha achado o nosso site um pouco simples, o que nós discordamos.
    Mas o vosso site para ser mau tem de melhor muito.

    Atenciosamente

    XXX "(não vou divulgar o signatário por razões éticas)

    segunda-feira, agosto 15, 2005

    Fotos do Katano - III


    Uma nuvem espessa forma-se sobre uma coluna de fumo de um incêndio. Qual será a explicação? Alto da Moeda, Serra da Maúnça, 14 de Agosto de 2005

    sábado, agosto 13, 2005

    FESTIVAL ROCK IN VALE
    13, 14 e 15 de Agosto
    Com a actuação ao vivo de Jerónimo, o Bob Dylan português
    inclui 53º festival internacional de folco-trance

    Diploma universitário não prova que se possui escolaridade obrigatória...

    "Lúcia de Castro, uma cidadã brasileira, viu ser retirada a sua candidatura a um concurso para auxiliar administrativa na Câmara de Portalegre porque os certificados por si entregues que atestam que é licenciada em História não provam, segundo a autarquia, que possui o ensino básico."

    Vou já à minha escola primária pedir um certificado pelo sim pelo não e, por este andar, não me admira que juntem aos documentos de porte obrigatório na condução, um certificado de aprovação na prova de código da estrada e outro de aprovação na prova prática de condução.

    Este país é uma palhaçada!

    Notícia
    Correio da Manhã

    Politécnico da Guarda entra na guerra!!!

    Foi sem dúvida uma surpresa para mim saber que o Instituto Politécnico da Guarda está a desenvolver um projecto de míssil de curto alcance para aplicações militares:

    "No passado dia 4 de Abril do presente ano teve início na ESTG do Instituto Politécnico da Guarda a primeira fase de construção de um míssil de curto alcance para aplicações militares. O sistema possuirá propulsão sólida, um alcance de quatro km e capacidade de transporte de uma ogiva de dois kg de tritonal. A fuzelagem, interfaces de controlo electrónico e todo o software estão a ser desenvolvidos na ESTG. O projecto foi concebido e está a ser executado por docentes dos Departamentos de Engª Informatica, Engª Mecânica e Matemática da ESTG."

    O que irão usar como plataforma de lançamento? Aposto que é o EgiEcocar que tem grande autonomia com apenas 1L de gasolina! Seja como for, estes profs. de Mecânica e Matemática sempre me deixaram desconfiado...

    quinta-feira, agosto 11, 2005

    J.C. pisca o olho aos fiéis

    O fenómeno fez estrondo na comunidade cristã de New Jersey, EUA. Ao que parece, uma estátua de Jesus Cristo que se encontrava no altar e que tinha olhos semi-cerrados, abriu subitamente um deles. Logo começaram peregrinações e, de repente, começaram a circular histórias segundo as quais a estátua teria mesmo piscado, chorado e virado a cabeça.

    Afinal, o mistério tem uma explicação simples: ao fazer uma limpeza à estátua, um padre local inadvertidamente quebrou a película que se encontrava sobre um dos dois olhos de vidro azuis (para dar mais realismo à estátua, se fizermos de conta que Cristo provavelmente teria olhos azuis). O facto que não foi imediatamente notado levou a mais uma grande mobilização
    religiosa.

    Afinal, e como disse uma criança de 14 anos que visitou então o local, "É apenas uma estátua. Alguém raspou a pálpebra".

    Notícia CSICOP completa
    aqui

    quarta-feira, agosto 10, 2005

    Dicionário do Katano - V

    ADRENALINA - substantivo feminino; FISIOLOGIA hormona segregada pela medula supra-renal, que desempenha um papel importante na formação de reacções a estímulos externos; COLOQUIAL energia; força;(De ad-renal+-ina)
    Fonte: Infopedia

    Definição do Katano: Ir para a Serra da Gardunha combater um incêndio da meia noite às 7 da manhã, criando uma linha de contra-fogo para impedir que avance para uma aldeia, integrado num grupo de 7 civis e de repente ficar isolado do grupo por uma parede de chamas de 20m e sem saber se o único caminho de saída não estará já também cortado pelo incêndio.

    domingo, agosto 07, 2005

    Hola!


    Estou de volta katano! A viagem foi interessante embora (e sai um chavão para a mesa do canto) tenha sido muito pouco tempo.

    sexta-feira, agosto 05, 2005

    sábado, julho 30, 2005

    Tuguices

    Excertos do texto de Clara Ferreira Alves, hoje, na revista Única do Expresso:

    "Esta é aquela altura do ano em que os portugueses dizem uns para os outros com ar circunspecto e circunstancial, ou melhor, com ar circunspecto ou circunstancial, vou aproveitar as férias para ler e escrever. Sobretudo ler, ler, tenho um monte de leituras para pôr em dia. (...) E é já a seguir, é mesmo já a seguir, vem a lista extensiva e exausta do monte de leituras para pôr em dia. Normalmente, um best-seller dqueles com o selo de autenticidade dos best-sellers aprovados pela weltanschauung contemporânea, vulgo zeitgeist, vulgo "uma cena da moda", normalmente, dizia eu, um desses livros género Dan Brown ou Thomas Harris (em inglês dans le texte e em paperback) e nunca, nunca, um desses livros do género Rebelo Pinto ou Paulo Coelho, que não correspondem ao cânone e são só lidos pelas classes inferiores que nunca, nunca, são suficientemente superiores ou cultas para responderem a inquéritos de Verão dos jornais ou terem amigos cultos que, nas férias, aquilo que fazem é essencialmente (e o advérbio é fundamental) ler e escrever, muito ler e escrever.
    (...) Os portugueses mentem. Mentem com quantos dentes têm na boca. E dizem que vão ler. Que vão ler aquilo, aquelas coisas, o Homero traduzido em português dans le texte e misturado com a areia da praia, o Dan Brown em inglês dan le texte caído no bordo salpicado de cloro de piscina, e quiçá um pesado romance de século XIX, que andam para "reler" (outra mentira, mais fina, é a dos que deixaram de ler, apenas relêem) há anos, que pesa pelo menos 489 gramas e que eles tentarão equilibrar numa mão, enquanto seguram o toldo do vento e a trela do cão na outra.
    Mentem e continuam a mentir, faz parte do sistema, está-lhes, como dizia o povo, na massa do sangue. Porque, se os portugueses lessem tanto como mentem, éramos o povo mais culto da Europa, quiçá do mundo inteiro, e não somos. Não somos não. Perguntem nas papelarias dos hipermercados, visto que não se pode chamar àquilo livrarias. Perguntem e apurem a qualidade das respostas. A verdade é que somos um dos povos mais incultos, iletrados e analfabetos da Europa, e não é por falta de livros ou de dinheiro, nem por causa do défice. Se há dinheiro para CD e T-Shirts da Zara, para telemóveis e carros, também haveria para livros, embora em se tratando de livros venha logo aquele queixume miserabilista do "livro tão caro", o que não impede os mesmos queixosos de, em férias, lerem e relerem, lerem e relerem.
    Não. Se em Portugal, como me confidenciou um editor, se publica um livro de duas em duas horas, também não é por falta de livros, embora a maioria destes livros não valha a vida de um caracol a atravessar a A2 para o Algarve no dia 31 de Julho. Não. A razão pela qual somos um dos povos mais iletrados, incultos e ilegíveis da Europa é porque não lemos. " (...)

    sexta-feira, julho 29, 2005

    Férias...!!!!

    Bem pessoal, chegou a hora de me despedir de vocês por uma semana porque sinceramente, preciso de descansar um bocado. O que significa ir de férias? Para mim significa largar TUDO e mudar de ares. Mudar de paisagens, de envolvência, enfim... ir para um sítio onde ninguém me conheça e ir sem telemóvel, sem agenda, sem horários e acima de tudo sem preocupações.

    Espanha é o destino. Mérida, Granada, Almuñecar. Estou para já cheio de expectativas em relação ao que vou encontrar e prometo que depois publicarei aqui algumas fotografias... nem que seja só para meter nojo. he he he

    Foi um ano de trabalho muito frutífero e posso dizer que até agora, 2005 está a ser em muitos aspectos, o melhor ano da minha vida, faltando apenas conhecer a emigrante de leste dos meus sonhos. Espero agora poder regressar com baterias recarregadas e cheio de energia para pegar nos projectos pendentes e levá-los a bom termo.

    A despedida do Fundão não poderia ter sido melhor. ;)

    Imagem do palácio árabe do Alhambra tirada daqui

    terça-feira, julho 26, 2005

    15 minutos de diferença

    Deslocava-me hoje à altaneira cidade da Guarda em automóvel emprestado quando a TSF começa a debitar uma notícia preocupante (mais uma):

    "A Reuters avança com a notícia de que um avião jordano se despenhou. Ainda não há informações sobre a magnitude do acidente, sabe-se apenas que o avião se despenhou".

    Pensei logo em mais um atentado até porque é o assunto do momento, para além da venda do Kit Sócio, e comecei logo a imaginar que a Jordânia, pela sua postura branda no teatro político-militar do Médio Oriente, seria com certeza um alvo bastante provável. "Al Qaeda" pensei logo.

    Eis que 15 minutos depois o repórter volta ao ataque:

    "Actualizamos agora a notícia que dava conta de um acidente com um avião na Jordânia. Ao que parece o avião não se despenhou. Quando este aterrava um pneu terá rebentado. Não há vítimas mortais."

    Lá tive de corrigir o meu raciocínio "Maldita Michelin!".

    segunda-feira, julho 25, 2005

    Mário Soares põe-se a jeito



    Já se fala de uma possível candidatura de Mário Soares à Presidência da República. A esquerda em peso apoiaria, tanto que pressiona, assim como boa parte do país.
    Confirma-se o que já parecia claro: Portugal não tem qualquer projecto de futuro (existiremos ainda daqui a uns 20 anos?), antes quer andar para trás.

    foto
  • daqui
  • Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...